NÍVEL DE ATIVIDADE FÍSICA E SINTOMAS DEPRESSIVOS EM IDOSOS DE SANTA ROSA – RS

Andressa Luana Eckhardt, Larissa Tolfo Gottin, Tatiane Ströher Renz, Moane Marchesan

Resumo


Idosos tendem a apresentar inúmeras alterações provindas do processo de envelhecimento. A presença de sintomas depressivos nessa população vem sendo observada sendo apontada como um problema de saúde pública. Algumas medidas podem ser utilizadas afim de reduzir esses sintomas, dentre eles a prática de atividade física. Sendo assim, o presente estudo objetivou avaliar o nível de atividade física de lazer com os sintomas depressivos de idosos de Santa Rosa – RS, a fim de trazer mais subsídios científicos e estimular a população idosa a se manter com níveis de atividade física adequados bem como, relacioná-lo com o sexo. Fizeram parte deste estudo descritivo quantitativo, 64 idosos do Laboratório de Atividade Física e Promoção da Saúde da UNIJUI da cidade de Santa Rosa – RS. Para avaliar a prevalência de sintomas depressivos foi utilizada a Escala de Depressão Geriátrica (GDS) e o nível de atividade física foi avaliado por meio do Questionário Internacional de Atividade Física (IPAQ). Os dados mostraram que a maioria dos idosos eram ativos (62,5%) e não apresentaram (63,3%) sintomas depressivos. Ainda, observou-se correlação inversa entre o nível de atividade física e os sintomas depressivos (p=0,034; r=0,92). Desta maneira, é possível concluir que quanto maior o nível de atividade física, menor a presença de sintomas depressivos em idosos.


Palavras-chave


Envelhecimento. Sintomas depressivos. Nível de atividade física.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 BIOMOTRIZ

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

ISSN Online: 2317-3467
ISSN Impresso: 1679-8074