A gestão dos processos de adaptação social como corolário das mudanças ecológicas: a interface com o princípio da responsabilidade

Mariane Camargo D’Oliveira, Mariela Camargo, Marcele Camargo D’Oliveira, Maria Aparecida Santana Camargo

Resumo


Configura-se esta pesquisa em um estudo de cunho qualitativo e caráter bibliográfico, a qual almeja examinar a interrelação entre a gestão dos processos de adaptação social e o princípio da responsabilidade. Entende-se que se adentra em temática ampla e complexa, que perpassa todas as esferas do espaço público, visto que o fomento ao meio ambiente ecologicamente equilibrado afeta a todos os indivíduos, global e indistintamente. Nesse plano, mesmo sendo esta uma problemática mundial e que, consequentemente, requer uma solução abrangente, mostra-se indispensável que sejam buscadas alternativas já em âmbito local, pois é assim que se vai galgando o esclarecimento e a conscientização de todos os sujeitos. Para que o objetivo primordial desta investigação fosse alcançado utilizaram-se as concepções, de modo precípuo, de Anthony Giddens, quando este trata, especificamente, do manejo das complexidades sociais e econômicas introduzidas pelas novas formas de tecnologia, bem como a interconexão dos riscos a serem assumidos com o princípio de responsabilidade proposto por Hans Jonas. Dada a complexidade destas temáticas, o que se percebe é uma apatia social, em que a indiferença se faz, paulatinamente, mais presente. No entanto, é essencial compreender que, para haver a desobstaculização das problemáticas ainda arraigadas, a fim de almejar uma sociedade mais igual e mais responsável pelo meio ambiente, mostra-se crucial uma reformulação na práxis política, social e cultural. É mediante o engajamento político e o ativismo dos grupos sociais que se pode propor mudanças estruturais.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN Online 2318-9150

ISSN Impresso 1982-3266