CONSIDERAÇÕES SOBRE O USO DE AGROTÓXICOS E EXPOSIÇÃO OCUPACIONAL: APORTES PARA O DEBATE

Letiane Peccin Ristow, Iara Denise Endruweit Battisti, Micheli dos Santos, Francisco Angst

Resumo


A exposição ocupacional dos trabalhadores rurais a agrotóxicos e consequentemente, a seus efeitos nocivos à saúde, ocorre em razão de que a produção agrícola brasileira baseia-se no uso intensivo de insumos químicos. Medidas de uso seguro são propagadas pela indústria química e legislação em vigor, embora existam estudos que evidenciaram sua ineficiência diante da diversidade agrícola e sociocultural entre as regiões brasileiras. Diante disso, este artigo faz algumas considerações sobre o uso de agrotóxicos e suas possíveis implicações na saúde dos trabalhadores rurais expostos a tais substâncias, como forma de contribuir ao debate. Com o intuito de elucidar o tema realizou-se pesquisa bibliográfica nas bases de dados no Portal Regional da Biblioteca Virtual em Saúde e no Portal de Periódico da Capes para o período de janeiro de 2000 a março de 2019. Evidencia-se que apesar de existir legislação em vigor e normas de segurança para o uso de agrotóxicos, as mesmas são insuficientes para evitar que os trabalhadores rurais estejam expostos aos efeitos nocivos de tais produtos em suas atividades laborais. Observa-se urgente necessidade de ações públicas para evitar danos a saúde desta população e impactar positivamente na sua qualidade de vida.

Palavras-chave: Agroquímicos. Trabalhadores rurais. Exposição ocupacional.


Texto completo:

PDF

Referências


ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva. Dossiê ABRASCO – Um alerta sobre os impactos dos agrotóxicos na saúde. Grupo Inter Gts de Diálogos e Convergências, 88p, 2012. Disponível em: . Acesso em 10 out 2018.

ABREU, P. H. B., O agricultor familiar e o uso (in)seguro de agrotóxicos no município de Lavras, MG. 2014. 205 p. (Dissertação de mestrado em Saúde Coletiva). Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2014.

ABREU, P. H. B., ALONZO, H. G. A. Trabalho rural e riscos à saúde: uma revisão sobre o “uso seguro” de agrotóxicos no Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 19, n. 10, p. 4197-4208, 2014.

AKTER, M. et al. Vegetable farmers’ behaviour and knowledge related to pesticide use and related health problems : A case study from Bangladesh. Journal of Cleaner Production. v. 200, p. 122 – 133, 2018.

ALVES FILHO, J. P. Medidas individuais de proteção no trabalho com agrotóxicos: indicações básicas e limitações. In: SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE TECNOLOGIA DE APLICAÇÃO DE AGROTÓXICOS: EFICIÊNCIA, ECONOMIA E PRESERVAÇÃO DA SAÚDE HUMANA E DO AMBIENTE, 2, 2001, Jundiaí. Anais... Campinas: Instituto Agronômico de Campinas, 2001.

ANDEF – ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE DEFESA VEGETAL. Manuais. Disponível em: . Acesso em 09 ago 2016.

BOHNER, T. O.; ARAÚJO, L. E. B.; NISHIJIMA, T. O impacto ambiental do uso de agrotóxicos no meio ambiente e na saúde dos trabalhadores rurais. Revista Eletrônica do Curso de Direito - UFSM. Santa Maria, v.8, Edição Especial, p. 329-341, 2013.

BONDORI, A., et al. Pesticide waste disposal among farmers of Moghan region of Iran: current trends and determinants of behavior. Environmental Monitoring Assessment. v. 191, n. 30, 2019.

BRASIL. Lei Nº 7.802, de 11 de julho de 1989. Dispõe sobre a pesquisa, a experimentação, a produção, a embalagem e rotulagem, o transporte, o armazenamento, a comercialização, a propaganda comercial, a utilização, a importação, a exportação, o destino final dos resíduos e embalagens, o registro, a classificação, o controle, a inspeção e a fiscalização de agrotóxicos, seus componentes e afins, e dá outras providências. Diário Oficial da União. Poder Executivo. Brasília, DF: Congresso Nacional, 1989.

____. Decreto nº 4.074, de 8 de Janeiro de 2002. Regulamenta a Lei nº 7802, de 11 de julho de 1989, que dispõe sobre a pesquisa, a experimentação, a produção, a embalagem e rotulagem, o transporte, o armazenamento, a comercialização, a propaganda comercial, a utilização, a importação, a exportação, o destino final dos resíduos e embalagens, o registro, a classificação, o controle, a inspeção e a fiscalização de agrotóxicos, seus componentes e afins, e dá outras providências. Diário Oficial da União, 8 jan, 2002.

____. Portaria nº 86, de 3 de março de 2005. Norma regulamentadora de segurança e saúde no trabalho na agricultura, pecuária, e silvicultura, exploração florestal e aquicultura. Norma Regulamentadora n. 31. Diário Oficial da União, 4 mar, 2005(a).

____. Decreto nº 5.360, de 31 de janeiro de 2005. Promulga a Convenção sobre Procedimento de Consentimento Prévio Informado para o Comércio Internacional de Certas Substâncias Químicas e Agrotóxicos Perigosos, adotada em 10 de setembro de 1998, na cidade de Roterdã. Diário Oficial da União, 1 fev, 2005 (b).

BRAUN, V.; CLARK, V. Using thematic analysis in psychology. Qualitative Research, v. 3, n. 2, p. 77-101, 2006.

BURIOLA, A.; OLIVEIRA, M. L. F. Famílias de agricultores convivendo com praguicidas clandestinos no estado do Paraná – Brasil. Ciência e Enfermagem. v. 19, n. 1, p. 37-47, 2013.

CABRAL, E. R. M. Exposição aos agrotóxicos: implicações na saúde de trabalhadores agrícolas de uma região de Campinas – SP. 2012. 170 p. (Dissertação de Mestrado em Saúde Coletiva). Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2012.

CARGNIN, M. C. S.; ECHER, I. C.; SILVA, D. R. Fumicultura: uso de equipamento de proteção individual e intoxicação por agrotóxico. Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online. v. 9, v.2, p.466-472, 2017.

CASTRO, J. S. M.; CONFALONIERI, U. Uso de agrotóxicos no Município de Cachoeiras de Macacu (RJ). Ciência & Saúde Coletiva. vol. 10, n. 2, p. 473-782, 2005.

DASGUPTA, S.; MEISNER, C.; HUQ, M. Health effects and pesticide perception as determinants of pesticide use: evidence from Bangladesh. World Bank Policy Research Working.Paper No. 3776. New York, NY, USA, 2005.

DELGADO, I. F.; FAUMGARTTEN, F. J. R. Intoxicações e uso de pesticidas por agricultores do Município de Paty do Alferes, Rio de Janeiro, Brasil. Cadernos de Saúde Pública. vol. 20. n. 1, p. 180-186, 2004.

DETÓFANO, D. et al. Evaluation of toxicity risks in farmers exposed to pesticides in an agricultural community in Concórdia, Santa Catarina State, Brazil. Acta Scientiarum Health Sciences. v. 35, n. 1, p. 11–118, jan-jun. 2013.

ELLERY, A. E. L. et al. Câncer em trabalhadores rurais: face da iniqüidade com a saúde da população camponesa, 2010.

ESPÍNDOLA, E. A. Análise da percepção de risco de uso de agrotóxicos em áreas rurais: um estudo junto aos agricultores do município de Bom Repouso (MG). 2011. 155 p. (Tese de Doutorado do Programa de Pós-Graduação em Ciências e Engenharia Ambiental). Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011.

FARIA, N. M. X; Trabalho rural e intoxicações por agrotóxicos. Cadernos de Saúde Pública, v. 20, n. 5, p. 1298-308, set-out, 2004.

FARIA, N. M. X.; ROSA, J. A. R.; FACCHINI, L. A. Intoxicações por agrotóxicos entre trabalhadores rurais de fruticultura, Bento Gonçalves, RS. Revista de Saúde Pública, São Paulo, v. 43, n. 2, p. 335-44, abr. 2009.

FARIA, N. M. X. Modelo de desenvolvimento, agrotóxicos e saúde: prioridades para uma agenda de pesquisa e ação. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, São Paulo, v. 37, 17-50, 2012.

FERREIRA DE SIQUEIRA, D. et al. Análise da exposição de trabalhadores rurais a agrotóxicos. Revista Brasileira em Promoção da Saúde. vol. 26, n. 2, p. 182-191, abr-jun, 2013.

FIGUEIREDO, G. M.; TRAPÉ, A. Z.; ALONZO, H. A. Exposição a múltiplos agrotóxicos e prováveis efeitos a longo prazo à saúde: estudo transversal em amostra de 370 trabalhadores rurais de Campinas (SP). Revista Brasileira de Medicina do Trabalho. v. 9, n. 1, p. 1-9, 2011.

GARCIA, A. M.; RAMIREZ, A.; LACASAÑA, M. Prácticas de utilización de plaguicidas en agricultores. Gaceta Sanitaria. vol. 16. n. 3, p. 236-240, 2002.

GARCIA, E. G.;ALVES FILHO, J. P. Aspectos de prevenção e controle de acidentes no trabalho com agrotóxicos. São Paulo: Fundacentro, 2005.

GLASENAPP, S.; SILVA, L. X.; PEITER, M. X. Tobacco grower families: an institutional analysis of their quality of life and health, 55th Congress of the European Regional Science Association: "World Renaissance: Changing roles for people and places", Anais… p. 25-28 August, 2015.

IBAMA. Portaria Normativa IBAMA Nº. 84, de 15 de outubro de 1996. Disponível em: http://www.ibama.gov.br/servicosonline/phocadownload/legislacao/portaria_84.pdf>. Acesso em 03 out 2018.

____. Boletim de Comercialização de Agrotóxicos e Afins: histórico de vendas – 2000 a 2012. Disponível em . Acesso em 09 nov 2015.

INCA. Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. Posicionamento do Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva acerca dos agrotóxicos. Disponível em . Acesso em 24 nov 2015.

JACOBSON, S. V. et al.Comunidade pomerana e uso de agrotóxicos: uma realidade pouco conhecida. Ciência & Saúde Coletiva. vol. 14, n. 6, p. 2239-2249, 2009.

JALOW. M. F. A, et al. Pesticide Knowledge and Safety Practices among Farm Workers in Kuwait: Results of a Survey. International Journal of Environmental Research and Public Health. v. 14, n. 340, 2017.

LONDRES, F. Agrotóxicos no Brasil: um guia para ação em defesa da vida. Rio de Janeiro: AS-APTA, 2011.

LU, J. L. Total Pesticide Exposure Calculation among Vegetable Farmers in Benguet, Philippines. Journal of Environmental and Public Health.Vol. 2009, p. 1-5, 2009.

MANZOLI, S. T.; IGUTI, A. M.; MONTEIRO, I. Condições de trabalho e saúde de plantadores de verduras de um município brasileiro. Trabajo y Sociedad. n. 30, p. 269-284, 2018.

MARCÃO, L. Avaliação da presença de agrotóxicos em produtos derivados de leite. 58 p. (Monografia do Curso de Engenharia Química). Escola de Engenharia de Lorena da Universidade de São Paulo. Lorena, SP, 2015.

MARCELINO, A. F.; WACHTEL, C. C.; GHISI, N. C. Are Our Farm Workers in Danger? Genetic Damage in Farmers Exposed to Pesticides. International Journal of Environmental Research and Public Health . v. 16, n. 3, p. 358, 2019.

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Agrotóxicos. Disponível em: . Acesso em 12 ago 2016.

MOREIRA, J. C. et al. Avaliação integrada do impacto do uso de agrotóxicos sobre a saúde humana em uma comunidade agrícola de Nova Friburgo, RJ. Ciência & Saúde Coletiva. v. 7, n.2, p.299-311, 2002.

OLIVEIRA, M. H. B.; VASCONCELLOS, L. C. F. Política de Saúde do Trabalhador no Brasil: Muitas Questões Sem Resposta. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v.8, n.2, p. 150-156, abr/jun, 1992.

OPAS - Organização Pan-Americana da Saúde. Manual de Vigilância da Saúde de Populações Expostas a Agrotóxicos. Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância Sanitária. Brasília: Organização Pan-Americama da Saúde/OMS, 1996.

PASIANI, J. O. Conhecimentos, atitudes e práticas de trabalhadores rurais em relação ao uso de agrotóxicos e biomonitoramento da exposição. 2012. 95 p.(Dissertação de Mestrado em Ciências da Saúde). Universidade de Brasília, Brasília, DF, 2012.

PERES, F. Onde mora o perigo? O processo de construção de uma metodologia de diagnóstico rápido da percepção de riscos no trabalho rural. 2003. 159 p. (Tese de Doutorado). Campinas: Universidade Estadual de Campinas; 2003.

PERES, F. Saúde, trabalho e ambiente no meio rural brasileiro. Ciência & Saúde Coletiva, v. 14, p. 1995–2004, 2009.

PLIANBANGCHANG, P.; JETIYANON, K.; WITTAYA-AREEKUL, S. Pesticide use patterns among small-scale farmers: a case study from phitsanulok, Thailand. The Southeast Asian Journal of Tropical Medicine and Public Health.Vol.40, n. 2, p. 400-410, mar – 2009.

RIGOTTO, R. (org.) Agrotóxicos, trabalho e saúde: vulnerabilidade e resistência no contexto da modernização agrícola no baixo Jaguaribe/CE. Expressão Popular/Edições UFC. 2011.

RISTOW, L. P.; et al. Análise de políticas públicas na área da saúde do trabalhador rural. Revista Saúde e Desenvolvimento. Vol. 11, n. 7. p.64-81, 2017.

SANDRI, E. A. Agrotóxicos: utilização por trabalhadores rurais em lavouras de feijão no município de Alta Floresta do Oeste – RO, em 2007. 2008. 78 p. Dissertação ) Mestrado em Ciências da Saúde do convênio centro-oeste UB, UFG, UFMS e UNIR). Universidade de Brasília, Brasília, DF. 2008.

SHARIFZADEH, M. S.; DAMALAS. C. A.; ABDOLLAHZADEH, G. Perceived usefulness of personal protective equipment in pesticide use predicts farmers' willingness to use it. Science of the Total Environment. v. 609, p. 517-523, 2017.

SCHENKER, M. B.; ORENSTEIN, M. R.; SAMUELS, S. J. Use of Protective Equipment Among California Farmers. American Journal of Industrial Medicine. Vol. 42. p.455–464, 2002.

SILVA, J. M.; NONATO-SILVA, E.; FARIA, H. P. et al. Agrotóxico e Trabalho: uma combinação perigosa para a saúde do trabalhador rural. Ciência & Saúde Coletiva, ABRASCO – v. 10. n. 4, p.891-903, 2005.

SILVA, M. V. A utilização de agrotóxicos em lavoura cafeeiras frente ao risco da saúde do trabalhador rural no município de Cocoal – Ro (Brasil). 2006. 53p. (Dissertação de Mestrado em Ciências da Saúde). Universidade de Brasília, Brasília, DF, 2006.

TEIXEIRA, A. C. de A. et al. Conceitos, olhares e primeiras aproximações sobre o problema em estudo. In: RIGOTTO, Raquel (org.) Agrotóxicos, trabalho e saúde: vulnerabilidade e resistência no contexto da modernização agrícola no baixo Jaguaribe/CE. Expressão Popular/Edições UFC. p. 35-70, 2011.

TOFOLO, C. et al. Contributing factors for farm workers' exposure to pesticides in the west of the state of Santa Catarina, Brazil. Acta Scientiarum Health Sciences. v. 36, n. 2, p. 153 – 159,jul – dez. 2014.

TRAPÉ, A. Z. Segurança no uso de agrotóxicos e efeitos na saúde de agricultores da região de

Campinas (SP). Revista Brasileira de Medicina do Trabalho. v. 9, n. 1, p. 10-14, 2011.

WALTON, A. L. et al. Pesticides: Perceived Threat and Protective Behaviors Among Latino Farmworkers, Journal of Agromedicine. v. 22, n.2, p. 140-147, 2017.

WANG, W. et al. Gender differences in pesticide use knowledge, risk awareness and practices in Chinese farmers. Science of the Total Environment. p. 22-28, 2017.

YAP, S. M. S.; DEMAYO, C. G. Health impacts of pesticide use by rice farmers in the municipality of Molave, Zamboanga del Sur, Philippines. Advances Environmental Biology, v. 9, n.27, p. 134-142, 2015.




DOI: http://dx.doi.org/10.33053/gedecon.v7i3.8193

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN Online 2318-9150

ISSN Impresso 1982-3266