MOTIVOS DE ADESÃO E ADERÊNCIA EM PRATICANTES DO MÉTODO PILATES

Autores

  • Rodrigo Sudatti Delevatti Universidade Federal de Santa Catarina
  • Maria Eduarda de Moraes Sirydakis Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, Brasil
  • Angelica Danielevicz Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, Brasil
  • Soraia Cleusa dos Santos Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.33053/biomotriz.v14i3.190

Resumo

Contextualização: O método Pilates foi criado pelo alemão Joseph H. Pilates. Tal método proporciona a conexão de corpo, mente e espírito, caracterizando-se como um programa de treinamento físico e mental, tendo como base a consciência de todos os movimentos musculares, controlados e precisos. Atualmente, o número de pessoas inativas fisicamente ainda é alto, o que traz a necessidade de estudos acerca dos motivos para adesão e aderência dos indivíduos em diferentes modalidades de exercício físico, como o Pilates. Objetivo: Investigar os motivos de adesão e aderência à prática regular do método Pilates. Método: A amostra da pesquisa constitui-se por 12 indivíduos maiores de 18 anos, de ambos os sexos, praticantes de Pilates há mais de um ano em um estúdio localizado em Florianópolis (SC). Utilizou-se questionário adaptado da Yoga para o Pilates, constituído por 22 questões semiabertas, sendo as questões 12, 13 e 14 respondidas por ordem de importância; estas três questões o indivíduo em sua percepção, enumerou 1 quando considerada a mais importante, 2 como importante, 3 como relativamente importante e 4 como menos importante. O estudo é caracterizado de natureza qualitativa, e os dados foram apresentados descritivamente por frequência absoluta e relativa. Resultados: Os indivíduos procuram o Pilates principalmente por indicação médica e se mantém na prática principalmente pela saúde física e mental. Conclusão: Os motivos de adesão e aderência estão associados, sendo que procuraram a atividade por indicação médica e se mantiveram pela melhora da saúde física e mental.

Referências

AMERICAN COLLEGE OF SPORTS MEDICINE, et al. American College of Sports Medicine position stand. Exercise and physical activity for older adults. Med Sci Sports Exerc., v. 41, n. 7, p. 1510-1530, 2009.

BASHKIREVA, A. S. Quality of life and physical activity among elderly and old people. Adv Gerontol., v. 31, n. 5, p. 743-750, 2018.

BRIGATTO, R.C.; PUPPO, K.; OLIVEIRA, N.R.C. de. Método Pilates: Benefícios ou modismo. Revista Corpo consciência, v. 16, n. 1, p. 45-58, jan./jun. 2012.

CURI, V. S. A influência do método pilates nas atividades de vida diária de idosas. 2009, 68 f. Tese (Doutorado) – Curso de Biomedicina, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2009.

FERREIRA, Daniel de oliveira. Fatores geradores da aderência ao yoga e perfil de praticantes como subsídio à captação de novos clientes. Tese (Doutorado) – Rio de Janeiro, 2005.

CRUZ-FERREIRA A., et al.A systematic review of the effects of pilates method of exercise in healthy people. Arch Phys Med Rehabil., v. 92, n. 12, p. 2071-2081, 2011.

FORTUNATTI, C.; DELEVATTI, R. S.; KRUEL, L. M. O método pilates na prevenção e tratamento do Diabetes Mellitus tipo 2. Arq. Cienc. Saúde UNIPAR, v. 19, n. 1, p, 45-52, 2015.

GONÇALVES, P.; LIMA, P. O. P. Percepção de saúde e Qualidade de vida: Um inquérito com praticantes dopilates. 2014.

KIBAR S, YARDIMCI FÖ, EVCIK D, et al. Can a pilates exercise program be effective on balance, flexibility and muscle endurance? A randomized controlled trial. J Sports Med Phys Fitness, v. 56, n. 10, p. 1139-1146, 2016.

LATEY, P. Historical Review: the Pilates method: history and philosophy. 2001.

LOK N, LOK S, CANBAZ M. The effect of physical activity on depressive symptoms and quality of life among elderly nursing home residents: Randomized controlled trial. Arch Gerontol Geriatr., v. 70, p. 92-98, 2017.

MARINHO, A.; GUGLIELMO, L. G. A. Atividade física na academia: objetivos dos alunos e suas implicações. In: Congresso Brasileiro de Ciências do Esporte, 10, 1997, Goiânia: Potência, 1997.

NAHAS, M. V. Atividade Física, Saúde e Qualidade de Vida. Conceitos e sugestões para um estilo de vida ativo. 5 ed. Londrina. Midiograf, 2010.

PANELLI, C., MARCO, A. Método Pilates de condicionamento do corpo: um programa para todavida. São Paulo, 3 Ed, 2016.

PEREIRA, L. M. et al. . Comparing the Pilates method with no exercise or lumbar stabilization for pain and functionality in patients with chronic low back pain: systematic review and meta-analysis. Clinical rehabilitation, v. 26, n.1, jan. 2012.

PILATES, J. H.; MILLER, W. J. Return to life through contrology. Ravenio Books, 1945.

PUCIATO D, BORYSIUK Z, ROZPARA M. Quality of life and physical activity in an older working-age population. ClinIntervAging, v. 12, p. 1627-1634, out. 2017.

RAFAEL, Bruno; COSTA, Silvya Pereira. Efeito do Método Pilates na força muscular respiratória. Anuário da Produção de Iniciação Científica Discente, v.13, N. 18, 2010.

SANTOS, S. C.; KNIJNIK, J. D. Motivos de adesão à prática de atividade física na vida adulta intermediária I. Revista Mackenzie de Educação Física e Esporte, v. 5, n. 1, p. 23-34, 2006.

TAHARA, A. K.; CARNICELLI FILHO, S. Atividades físicas de aventura na natureza (AFAN) e academias de ginástica: motivos de aderência e benefícios advindos da prática. Movimento, v. 15, n. 3, p. 187-208, 2009.

WANKEL, L. M. A importância do prazer na adesão e nos benefícios psicológicos da atividade física. Jornal Internacional de Psicologia do Esporte, 1993.

WEINBERG, R. S.; GOULD, D. Fundamentos da psicologia do esporte e do exercício. 2. ed. Porto alegre: Artmed, 2001.

Downloads

Publicado

2020-11-16

Como Citar

Delevatti, R. S., Sirydakis, M. E. de M. ., Danielevicz, A. ., & Santos, S. C. dos . (2020). MOTIVOS DE ADESÃO E ADERÊNCIA EM PRATICANTES DO MÉTODO PILATES . BIOMOTRIZ, 14(3), 144-152. https://doi.org/10.33053/biomotriz.v14i3.190

Edição

Seção

Artigos