CORRIDA DE RUA E SUA IMPORTÂNCIA NA PERCEPÇÃO DOS PRATICANTES

Autores

  • Bruna Vanessa Telles Roth UNICRUZ
  • Vania Mari Rossato UNICRUZ
  • Rodrigo de Rosso Krug UNICRUZ
  • Marilia de Rosso Krug Universidade de Cruz Alta - UNICRUZ

DOI:

https://doi.org/10.33053/biomotriz.v14i3.226

Palavras-chave:

Corrida de Rua., Ansiedade, Saúde, Estresse

Resumo

Os grupos de corrida são uma opção para indivíduos que buscam uma atividade física ao ar livre, conhecer pessoas, melhorar a qualidade de vida, a resistência e a força, além de ser uma modalidade de baixo custo. Dessa forma, e considerando que os grupos de corrida vêm aumentando progressivamente na região, buscou-se com esse estudo analisar o perfil, os objetivos e a percepção da importância da corrida para participantes de um grupo de corrida de rua da cidade de Cruz Alta-RS. Participaram deste estudo quantitativo do tipo estudo de caso 30 integrantes do referido grupo. Para avaliar a percepção da importância com a prática da corrida de rua foi utilizado uma versão traduzida e adaptada da escala original, desenvolvida pela San Diego State University (EUA). Para interpretação das informações foi utilizada a estatística inferencial. Os participantes eram, na maioria, do sexo feminino (56,6%), casados (46,6%) frequentadores do grupo a menos de um ano (56,6%), com frequência média de treino duas vezes na semana (53%). O principal objetivo com a prática da modalidade foi a melhora da saúde (55%). A maioria (92%) percebia a corrida como extremamente importante ou muito importante, com destaque para a saúde (93%) seguida de redução da ansiedade (73%), controle do estresse (71%), redução do peso corporal (70%), melhora do humor (70%), redução da depressão (67%) e qualidade do sono (67%). Os resultados do presente estudo permitem concluir que os participantes do grupo de corrida de rua da cidade de Cruz Alta–RS, eram, na maioria, mulheres com o obejtivo de melhorar a saúde e percebiam a corrida como extremamente importante para suas vidas.

Referências

ACSM. Colégio Americano de Medicina do Esporte. Guidelines for exercise testing and prescription. 8th ed. Baltimore: Lippincott Williams & Wilkins; 2009.

ABEP - Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa, Dados com base no Levantamento Sócio Econômico 2012 – IBOPE. Disponível em: . Acesso em: 25 nov. 2019.

BARBOSA, Anderson do Prado. Manual do Gestor de Corridas de Rua. São Paulo: Phorte, 2017.

BASTOS, A. Perfil dos corredores de rua do estado de São Paulo e as lesões a que estão

sujeitos. 2003. 41 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Educação Física). Centro Universitário

– UNIFMU. São Paulo, 8 de Outubro de 2003.

BOMPA, T. O. Periodização: teoria e metodologia do treinamento. 3o ed. São

Paulo - SP. Editora Phorte, 2002.

CBAt. Confederação Brasileira de Atletismo/corrida de rua 2016. Disponível em: <http://cbat.org.br/atletismo/default.asp>. Acesso em: 12 ago. 2019.

DENADAI, B. S; GRECO, C. C. Educação Física no Ensino Superior. Prescrição do Treinamento Aeróbio: Teoria e Prática. Rio de Janeiro - RJ. Guanabara Koogan. 2005.

ESTEVAM, L. C. Estudo do crescimento do número de corridas de rua e perfil dos participantes no Brasil. 2016. 27 f. Monografia (Curso de educação física Bacharelado) – Faculdade de Educação Física, Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, MG. 2016

FEDERAÇÃO PAULISTA DE ATLETISMO. Corridas de Rua registram crescimento. Disponível em: <http://atletismofpa.org.br/Not%C3%ADcias/FPA-News>. Acesso em: 16 jul. 2018.

FONSECA, T. Z. Corrida de rua: o aumento do número de praticantes migrando para maratonas. Revista Digital Lecturas: Educación Física y Deportes, Buenos Aires, a. 6, n. 164, Jan. 2012.

GOMES, A. C. Treinamento desportivo: Estruturação e Periodização. 3 ed. Rio de Janeiro: Artmed, 2014.

GRATÃO, A. O.; ROCHA, C. M. Dimensões da motivação para correr e para participar de eventos de corrida. Revista Brasileira de Ciência e Movimento, v. 24, n. 3, p. 90 -102, 2016.

MOREIRA, C.A. Atividade física na maturidade. Rio de Janeiro/RJ: Shape, 2001.

NEWSHOLME, E. Corrida: ciência do treinamento e desempenho. São Paulo: Phorte Editora, 2006.

OLIVEIRA, D. G. de et al. Prevalência de lesões e tipo de treinamento de atletas amadores de corrida de rua. Corpus et Sienctia, São Paulo, v.8, n.1, p. 51-59, jun. 2012.

PATE, R. R., O’NEILL, J. R.; LOBELO, F. The evolving definition of sedentary. Exercise and Sport Sciences Reviews, v. 36, n. 4, p. 173–178, 2008.

PAZIN, J. et al. Corredores de Rua: características demográficas, treinamento e prevenção de lesões. Revista Brasileira de Cineantropometria e Desempenho Humano, v. 10, n. 3, p. 277-282, 2008.

QUEIROZ, J. et al. Perfil dos praticantes de corrida de rua orientados por profissionais de Educação Física da cidade de Criciúma, SC, Revista Digital Lecturas: Educación Física y Deportes, Buenos Aires, a. 18, n. 188, Enero de 2014.

RECH, C. R. et al. Validade e fidedignidade da escala de satisfação com a prática de atividade física em adultos. Revista de Saúde Pública, São Paulo, v. 5, n. 2, p. 286–293, 2011. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-89102011000200007>. Acesso em: 20 ago. 2019.

ROCHA, A. A. Motivação à pratica regular de ginástica corporal. 114 f. Dissertação Mestrado (Programa de Pós-Graduação em Ciências do Movimento Humano) Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Escola de Educação Física, Porto Alegre, 2012.

SALGADO, J. V. V.; CHACON-MIKAHIL, M. P. T. Corrida de rua: análise do crescimento do número de provas e de praticantes. Revista Conexões, Campinas, v.4, n.1, p. 100-109, 2006.

SCALCO, L.M. Por isso corro demais... notas etnográficas de uma corredora iniciante. 2010. Revista Brasileira de Sociologia das Emoções, João Pessoa, v. 9, n. 25, abr., 2010.

TOMAZINI, F.; SILVA, E.V. Perfil dos praticantes de corrida de rua de uma assessoria esportiva da cidade de São Paulo: Motivos para adesão. Coleção Pesquisa em Educação Física, Várzea Paulista, v. 13, n. 2, p. 135-142, 2014.

TOMAZONI, F. Fatores motivacionais que levam pessoas à prática e participação competitiva em corridas de rua. 2012. 52 f. Monografia (curso de licenciatura em Educação Física) - Faculdade de Educação Física, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS. 2012.

TRUCCOLO, A. B; MADURO, P. A; FEIJÓ, E. A. Fatores Motivacionais de adesão a grupos de corrida. Motriz, v. 14, n. 2, p. 108-114, 2008.

Downloads

Publicado

2020-11-16

Como Citar

Telles Roth, B. V., Rossato, V. M., de Rosso Krug, R., & de Rosso Krug, M. (2020). CORRIDA DE RUA E SUA IMPORTÂNCIA NA PERCEPÇÃO DOS PRATICANTES. BIOMOTRIZ, 14(3), 53-62. https://doi.org/10.33053/biomotriz.v14i3.226

Edição

Seção

Educação Física e Esportes na escola e fora da escola