EMOÇÕES NO ENSINO DO VOLEIBOL A PARTIR DA PERSPECTIVA CRÍTICO-EMANCIPATÓRIA

Autores

  • Juliana Picolotto UFSM
  • Aline de Souza Caramês UFSM
  • Myllena Camargo de Oliveira UFSM

DOI:

https://doi.org/10.33053/biomotriz.v14i3.272

Resumo

Inspiradas na abordagem crítico-emancipatória, emergiu o seguinte problema de pesquisa: Como os alunos se sentem em relação às aulas de Educação Física com a perspectiva crítico-emancipatória? Dessa forma, objetivamos identificar a manifestação das emoções de alunos/as nas aulas de Educação Física. Participaram do estudo 15 alunos/as do Ensino Médio de uma escola pública no município de Santa Maria (RS). Ao final de cada aula, os/as estudantes construíam uma narrativa, explanando suas emoções referente aos momentos das aulas. A análise de conteúdo possibilitou constatar que, no decorrer das aulas, a turma expressou emoções variadas que caminham entre positivas, negativas e ambíguas. Também, os/as estudantes participaram das aulas de modo cooperativo, coletivo, demonstrando satisfação e não mencionaram aspectos competitivos. Nesse sentido, a partir do processo de ensino-aprendizagem crítico-emancipatório, as emoções manifestadas pelos/as estudantes durante as aulas auxiliam a compreendermos a necessidade de repensar metodologias tradicionais de ensino da Educação Física brasileira.

Referências

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Rio de Janeiro: Edições 70, 2008.

BRACHT, Valter. Saber e fazer pedagógicos: acerca da legitimidade da educação física como componente curricular. In: CAPARRÓZ, Francisco Eduardo (Org.). Educação física escolar: política, investigação e intervenção. Vitória: PROTEORIA, 2001. p. 67-80.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: Introdução aos parâmetros curriculares nacionais. Brasília: MEC/SEF, 1997. 126p.

BISQUERRA, Rafael. Educación emocional y bienestar. Barcelona: Praxis, 2000.

CLANDININ, D. Jean. CONELLY, F. Michael. Pesquisa narrativa: experiências e história na pesquisa qualitativa. Tradução: Grupo de Pesquisa Narrativa e Educação de Professores ILEEL/UFU. Uberlândia: EDUFU, 2011.

COSTA, G. C. T.; BARBOSA, R. V.; GAMA FILHO, J. G. A modulação do ataque no voleibol de alto nível: o caso da Superliga feminina 2011-2012. Revista da Educação Física, v. 24, n. 4, p. 10-20, dez. 2013.

DARIDO, S. C. Os conteúdos da educação física escolar: influências, tendências, dificuldades e possibilidades. Perspectivas em Educação Física Escolar, Niterói, v. 2, n. 1, p. 05-26, 2001.

DEMO, Pedro. Educar Pela Pesquisa. 8 ed. Campinas: Autores Associados, 2007.

FAGUNDES, Felipe Menezes; OLIVEIRA, Raquel Valente de; RIBAS João Francisco Magno. Saque e Recepção: Análises Praxiológicas sobre suas Influências no Voleibol. In: CONGRESO ARGENTINO, 11. y LATINOAMERICANO DE EDUCACIÓN FÍSICA Y CIENCIAS, 6. 2005. Anais... La Plata: Universidad Nacional de La Plata, 2005. Disponível em: <http://congresoeducacionfisica.fahce.unlp.edu.ar/publicaciones11ocongreso/Mesa%2004_Fagundes.pdf/>view. Acesso em: 31 jul. 2020.

FENSTERSEIFER, P. E. A Educação Física na crise da modernidade. Ijuí: Unijuí, 2001.

HENKLEIN, A. P.; SILVA, M. M. A CONCEPÇÃO CRÍTICO-EMANCIPATÓRIA: AVANÇOS, POSSIBILIDADES E LIMITAÇÕES PARA A EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR. Revista eletrônica da Escola de Educação Física e Desportos – UFRJ. Vol 3, nº 2, 2007.

KRÜGER, L.G.; KRUG, H.N. A emoção-percepção na prática pedagógica da formação profissional em Educação Física. In: KRUG, H.N. (Org.). Dizeres e fazeres sobre formação de professores de Educação Física. Santa Maria: [s.n.], 2007. (Coleção Formação de Professores de Educação Física). P.76-81.

KUNZ, E. Transformação didático-pedagógica do esporte. Ijuí: UNIJUÍ, 1994.

________. Transformação didático-pedagógica do esporte. 4. ed. Ijuí: Unijuí, 2001.

________. Transformação didático-pedagógica do esporte. 6. ed. Ijuí: Unijuí, 2004.

________. Transformação didático-pedagógica do esporte. Ijuí: UNIJUÍ, 2006.

________. Educação Física Ensino e Mudanças. 3. Ed. Ijuí: Unijuí, 2012.

________. Transformação didático-pedagógica do esporte. 8. Ijuí: Unijuí, 2014.

MARIANO, M. do S.S.; MUNIZ, H.P. Trabalho docente e saúde: o caso dos professores da segunda fase do ensino fundamental. Revista Estudos e Pesquisas em Psicologia, Rio de Janeiro, v.6, n.1, jun., 2006.

OLIVEIRA, R. V. de.; RIBAS, J. F. M.; DARONCO, L. S. E. A MANIFESTAÇÃO DE EMOÇÕES EM JOGOS INFORMAIS E FORMAIS DE VOLEIBOL NO CONTEXTO ESCOLAR. Motrivivência, Florianópolis/SC, v. 29, n. 52, p. 211-230, setembro/2017.

PIRES, G. de L. Educação Física e o Discurso midiático: abordagem crítico-emancipatória. Ijuí: Unijuí, 2002.

SEDORKO, Clóvis; FINCK, Silvia. SENTIDOS E SIGNIFICADOS DO ESPORTE NO CONTEXTO DA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR. Journal Of Physical Education, [S.L.], v. 27, n. 1, p. 1-10, mar. 2016.

SERPA, P. R.; MACHADO, H. M. Abordagem pedagógica crítico-emancipatória: uma busca pela autonomia e emancipação. EFDeportes.com, Revista Digital. Buenos Aires - Año 21 - Nº 216 - Mayo de 2016. Disponível em: http://www.efdeportes.com/. Acesso: 31 jul. 2020.

SOUZA, C. A.; MACHADO, R. R. POSSIBILIDADES PARA A TRANSFORMAÇÃO DO ESPORTE EM AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA: UMA EXPERIÊNCIA COM O VOLEIBOL SENTADO. BIOMOTRIZ ISSN: 2317-3467 V.8, N. 02, 2014.

SOUZA, C. A. de.; MARQUES, C. L. da S.; TELLES, C. Teoria Crítica e Educação Física: Aproximações a partir da abordagem crítico-emancipatória e didática comunicativa. [Araraquara]: Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, 2016. n. 1, v. 11, p. 231-244.

Downloads

Publicado

2020-11-16

Como Citar

Picolotto, J., de Souza Caramês, A., & Camargo de Oliveira, M. (2020). EMOÇÕES NO ENSINO DO VOLEIBOL A PARTIR DA PERSPECTIVA CRÍTICO-EMANCIPATÓRIA. BIOMOTRIZ, 14(3), 72-81. https://doi.org/10.33053/biomotriz.v14i3.272

Edição

Seção

Educação Física e Esportes na escola e fora da escola