EDUCAÇÃO FÍSICA COMO FERRAMENTA DE PREVENÇÃO A OBESIDADE INFANTIL

Autores

  • Simone Gobi Marcolan UniLaSalle/ Lucas
  • Arlete Cherobini Orth UNILASALLE/LUCAS
  • Elisa Braun Machry UniLaSalle/ Lucas

DOI:

https://doi.org/10.33053/biomotriz.v15i1.385

Palavras-chave:

Obesidade Infantil. Saúde. Sedentarismo. Hábitos Alimentares.

Resumo

A obesidade vem ganhando destaque mundial no cenário epidemiológico, sendo descrita como um grande problema de saúde pública da atualidade. Sabendo que as maiorias dos hábitos da vida adulta se formam na infância, é de grande relevância o papel dos profissionais que se preocupam com saúde infantil, pois a criação de hábitos saudáveis é uma das melhores estratégias para o combate a essa e outras doenças. O ambiente escolar tem grande influência na saúde da criança, não só pelo longo tempo de permanência, mas também como local de convívio e troca de informações de saúde, considerado o ambiente ideal para implementação de estratégias de prevenção e controle de questões de saúde como a obesidade. Diante do tema apresentado, a problemática de se estudo foi: qual a importância das aulas de Educação Física no Ensino Fundamental II para a prevenção e redução da obesidade? Diante dessa, o objetivo geral foi identificar qual a importância das aulas de Educação Física no Ensino Fundamental II para a prevenção e redução da obesidade. Especificamente, buscou-se: Descrever, a partir da literatura, a etiologia e as consequências da obesidade infantil; Verificar os benefícios da atividade física para a saúde das crianças nas aulas de Educação Física na visão dos professores; Identificar quais atividades são planejadas e desenvolvidas nas aulas de Educação Física que contribuem para a prevenção e redução da obesidade. Os sujeitos da pesquisa são 09 professores de Educação Física do Ensino Fundamental II que atuam na rede pública de ensino de Lucas do Rio Verde – MT, que responderam um questionário referente ao tema. Os resultados da pesquisa reforçam a importância do professor de Educação Física trazer para a sala de aula, em seu contexto pedagógico, a vertente para a saúde, nota-se que o trabalho deste profissional juntamente com a escola e município são extremamente relevantes, para a prevenção e combate ao sobrepeso e obesidade infantil, porém não sendo suficientes sem o apoio familiar. Portanto é importante o desenvolvimento de ações a fim de promover a saúde e prevenção a esta e outras doenças em conjunto com toda sociedade.

 

 

Biografia do Autor

Simone Gobi Marcolan, UniLaSalle/ Lucas

Mestre em Educação nas Ciências - UNIJUÍ- RS

Elisa Braun Machry, UniLaSalle/ Lucas

Licenciada em Educação Física

Referências

AZEVEDO, F.; BRITO, B. C. Influência das variáveis nutricionais e da obesidade sobre a saúde e o metabolismo. Revista da Associação Médica Brasileira., v. 58, n. 6, p. 714-723, 2012.

BETTI, M. Educação física escolar: ensino e pesquisa-ação. Ijuí: ed. Unijuí, 2009.

BRASIL. Parâmetros curriculares nacionais: Educação Física / Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC/SEF, 1997.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais. Terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental: educação física. Brasília: MEC/SEF, 1998.

CARVALHO, E. A. A.; SIMÃO, T. M. J.; FONSECA, M. C.; ANDRADE, R. G.; FERREIRA, M. S. G.; SILVA, A. F.; SOUZA, I. P. R.; FERNANDES, B. S. Obesidade: aspectos epidemiológicos e prevenção. Revista Médica de Minas Gerais., v. 23, n. 1, p. 74-82, 2013.

CAMPOS, Marcos Vinhal. Atividade Física Passo a Passo: Saúde Sem Medo e Sem Preguiça. Brasília: Thesaurus, 2002.

DARIDO, Suraya Cristina. Para Ensinar Educação Física: Possibilidades de intervenção na escola. Campinas, SP: Papirus, 2007.

FERREIRA, José Paulo. Pediatria: Diagnósticos e Tratamento. Porto Alegre: Artmed, 2007.

FREIRE, João Batista. Educação de corpo inteiro: teoria e prática da educação física. São Paulo: Scipione, 2009.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. Ed. São Paulo: Atlas, 2008.

HARVEY, Richard A.; FERRIER, Denise R. Bioquímica ilustrada. 5. Ed. Porto Alegre: Artmed, 2012.

MCARDLE, William D.; KATCH, Frank I.; KATCH, Victor L. Fisiologia do exercício: nutrição, energia e desempenho humano. 7. Ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011.

ONU Brasil. Disponível em: https://nacoesunidas.org/obesidade-entre-jovens-aumentou-mais-de-10-vezes-nas-ultimas-quatro-decadas-revela-oms/. Acesso em: 04 ago. 2018.

REIS, Alfeu. Educação Física: seu manual de saúde. São Paulo: DCL, 2012.

SATO, Emilia Inoue. et.al. Atualização Terapêutica De Prado, Ramos e Valle - Diagnóstico e Tratamento. 26ª Ed. São Paulo: Artes Médicas, 2018.

SHARKEY, B. J. Condicionamento físico e saúde. Tradução de Márcia Dornelles, Ricardo Demétrio de Souza Petersen. – 5. ed. – Porto Alegre: Artmed, 2006.

TEIXEIRA, A. L. S; DESTRO, D. S. Obesidade infantil e educação física escolar: Possibilidades pedagógicas. Disponível em: <http://re.granbery.edu.br/artigos/NDAz.pdf>. Acesso em: 08 jun. 2018.

WILMORE, Jack H.; COSTILL, David L. Fisiologia do esporte e do exercício. 4. ed. Barueri, SP: Manole, 2011.

WILSON, David; HOCKENBERRY, Marilyn J. Wong - Fundamentos de Enfermagem Pediátrica. 9ª Ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2014.

Downloads

Publicado

2021-06-30

Como Citar

Gobi Marcolan, S., Cherobini Orth, A., & Braun Machry, E. . (2021). EDUCAÇÃO FÍSICA COMO FERRAMENTA DE PREVENÇÃO A OBESIDADE INFANTIL. BIOMOTRIZ, 15(1), 91- 102. https://doi.org/10.33053/biomotriz.v15i1.385

Edição

Seção

Artigos