REFLEXÕES SOBRE A PRÁTICA DOCENTE NA EDUCAÇÃO INFANTIL: INTERFACES ENTRE ALUNO E ESCOLA

Autores

  • George Almeida Lima Secretaria de Educação do Estado do Ceará - Seduc-CE
  • Maria Luciléia Gonçalves da Silva Universidade Regional do Cariri

DOI:

https://doi.org/10.33053/biomotriz.v15i1.430

Palavras-chave:

Educação Infantil, Criança, Escola

Resumo

A Educação Infantil passou por diversas transformações ao longo do seu percurso na escola, ressignificações essas, com o intuito de ampliar o desenvolvimento das crianças. A educação, ancorada aos aspectos sociais, políticos e econômicos da sociedade, muitas vezes, foi utilizada como uma ferramenta para a manutenção do status quo. Desse modo, faz-se necessário refletir sobre a Educação Infantil contemporânea, buscando a compreensão de como ocorre o processo educacional. O presente trabalho objetiva analisar a importância da Educação Infantil para o desenvolvimento integral da criança, compreender qual o papel do professor na formação de um aluno reflexivo e crítico, que interaja socialmente de maneira ativa. A metodologia utilizada foi à revisão de literatura, onde foram analisados livros e artigos que tratam da temática em questão. Os resultados mostram que Educação Infantil é preponderante no processo de formação integral das crianças. É nessa etapa da Educação Básica que elas interagem socialmente e constroem sua subjetividade. Portanto, infere-se, que o professor é o mediador entre o conhecimento e o aluno, oferecendo subsídios para que as crianças explorem o mundo que a rodeia através da elucidação de situações-problema propostas pelo professor.

Biografia do Autor

Maria Luciléia Gonçalves da Silva, Universidade Regional do Cariri

Graduanda em Letras pela Universidade Regional do Cariri - URCA/CE. Realiza pesquisas nas áreas da sociolingüística, Escola e comunicação, aspectos socioculturais da educação e avaliação escolar.

Referências

AYOUB, E. Reflexões sobre a Educação Física na Educação Infantil. Revista Paulista de Educação Física, São Paulo, Supl. 4, p. 53- 60, 2001.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC, 2017.

DIMENSTEIN, G.; ALVES, R. Fomos maus alunos. Campinas: Papirus, 2003.

EHRENBERG, M. C. A linguagem da cultura corporal sob o olhar de professores da Educação Infantil. Revista Pro-Posições, v. 25, n. 1 (73), p. 181-198, jan./abr. 2014.

FERRARI, A. Metodologia da ciência. 3. ed. Rio de Janeiro: Kennedy, 1974.

GARDNER, H. O verdadeiro, o belo e o bom: os princípios básicos para uma nova educação. Tradução de Álvaro Cabral. Rio de Janeiro: Objetiva, 1999.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas, 2008.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. de A. Fundamentos de metodologia científica. 6. ed. 5. Reimp. São Paulo: Atlas, 2007.

LIMA, G. A; PREIRA, A. H. M; SILVA, M. L. G. da; SILVA, C. R.F. da; NEVES, A. J. R. Interfaces da linguagem: escola e cultura. Brazilian Journal of Development, Curitiba, v. 6, n. 12, p. 102016-102024, dez. 2020. Disponível em: https://www.brazilianjournals.com/index.php/BRJD/article/view/22142/17688 . Acesso em: 24 dez. 2020.

LIMA, G. A. SILVA. M. L. G. da. Linguagem corporal e comunicação: a criança e o brincar. Revista Interfaces: Saúde, Humanas e Tecnologia, Juazeiro do Norte, v. 9, n. 1, p. 969-974, jan. 2021.

MACHADO, M. L. A. Pré-escola não é escola: a busca de um caminho. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1991.

MANOEL, E. J. Formação de professores: a necessidade da experiência, a experiência da complementaridade. In: GIMENEZ, R.; SOUZA, M. T. (Orgs.). Ensaios sobre contextos da firmação profissional em Educação Física. Jundiaí: Fontoura Editora, 2011.

MOREIRA, E. C.; PEREIRA, R. S.; LOPES, T. Considerações, reflexões e proposições para a Educação Física na Educação Infantil e séries do Ensino Fundamental. In: MOREIRA, E. C.; NISTA-PICCOLO, V. L. (Orgs.). O quê e como ensinar Educação Física na escola. Jundiaí: Fountora Editora, 2009.

NEIRA, M. G. A reflexão e a prática do ensino – Educação Física. São Paulo: Blucher, 2011.

NISTA-PICCOLO, V. L. Pedagogia da ginástica artística. In: NUNOMURA, M.; NISTA-PICCOLO, V. L. (Orgs.). Compreendendo a ginástica artística. São Paulo: Phorte Editora, 2009.

NISTA-PICCOLO, V. L. Prolegômenos de uma pesquisa sobre o perfil do professor de Educação Física. Revista Brasileira de Docência, Ensino e Pesquisa em Educação Física, v. 2, n.1, p. 111-125, jul. 2010.

NISTA-PICCOLO, V. L. A formação de professores em Educação Física: desafios e propostas. In: GIMENEZ, R.; SOUZA, M. T. (Orgs.). Ensaios sobre contextos da formação profissional em Educação Física. Jundiaí: Papirus, 2011.

NISTA-PICCOLO, V. L.; MOREIRA, W. W. Corpo em movimento na Educação Infantil. São Paulo: Telos, 2012.

OLIVEIRA, Z. M. R. (Org). Educação Infantil: fundamentos e métodos. 6. ed. São Paulo: Cortez Editora, 2010.

SERGIO, M. Motricidade humana: uma nova ciência do homem. Lisboa: Ministério da Educação e Cultura, 1986.

SOUZA, S. J.; KRAMER, S. Educação ou tutela? A crianças de 0 a 6 anos. São Paulo: Edições Loyola, 1991.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. 2. ed. Petrópolis: vozes, 2002.

TOURAINE, A. Podemos viver juntos? Rio de Janeiro: Vozes, 1998.

VECCHI, R. L.; NISTA-PICCOLO, V. L. A Educação Física Escolar na perspectiva do ensino para a compreensão. In: POGRÉ. P.; LOMBARDI, G.; EQUIPE DO COLÉGIO SIDARTA (Orgs.). O ensino para a compreensão: a importância da reflexão e da ação no processo de ensino-aprendizagem. Espírito Santo: Hoper, 2006.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. Porto Alegre: Bookman, 2005.

Downloads

Publicado

2021-04-13

Como Citar

Almeida Lima, G., & Gonçalves da Silva, M. L. (2021). REFLEXÕES SOBRE A PRÁTICA DOCENTE NA EDUCAÇÃO INFANTIL: INTERFACES ENTRE ALUNO E ESCOLA. BIOMOTRIZ, 15(1), 72-80. https://doi.org/10.33053/biomotriz.v15i1.430

Edição

Seção

Artigos