COMPARAÇÃO DA MOTIVAÇÃO PELO ESPORTE EM ADOLESCENTES DA CIDADE DE PETROLINA-PE EM RAZÃO DO SEXO, IDADE E TEMPO DE PRÁTICA

Autores

  • Gabriel Lucas Morais Freire Universidade Estadual de Maringá, Paraná, Brasil.
  • Kauany Maria Araújo Veras Universidade Federal do Vale do São Francisco
  • Gustavo Ferreira dos Santos Universidade Federal do Vale do São Francisco
  • Jaine da Silva Santos Universidade Federal do Vale do São Francisco
  • Lenamar Fiorese Universidade Estadual de Maringá, Paraná, Brasil.
  • José Roberto Andrade do Nascimento Junior Universidade Federal do Vale do São Francisco

DOI:

https://doi.org/10.33053/biomotriz.v16i1.562

Palavras-chave:

Autodeterminação. Esporte. Adolescentes.

Resumo

Este estudo teve como objetivo comparar a motivação pela prática esportiva entre escolares da cidade de Petrolina-PE em razão do sexo, idade e tempo de prática. Participaram da pesquisa 173 escolares da cidade de Petrolina-PE, sendo 128 meninos e 45 meninas. Os instrumentos utilizados foram um questionário sociodemográfico e a Escala de Motivação para o Esporte II. A análise dos dados foi conduzida por meio dos testes de Kolmogorov-Smirnov e “U” de Mann-Whitney (p < 0,05). Os resultados evidenciaram que os adolescentes apresentaram escores superiores nas regulações identificadas (Md = 4,33), integrada (Md = 4,00) e intrínseca (Md = 4,00). Verificou-se que os meninos apresentaram maior desmotivação (Md = 4,00) e regulação externa (Md = 4,16) quando comparados às meninas (Md = 2,33), enquanto os escolares com maior tempo de prática esportiva apresentaram maior desmotivação (Md = 4,66) e regulação externa (Md = 4,00) quando comparados aos escolares com menor tempo de prática (Md = 3,00 e Md = 3,66, respectivamente). Concluiu-se que o sexo e o tempo de prática são fatores intervenientes na motivação para a prática esportiva em adolescentes escolares. Ressalta-se que os meninos e os adolescentes com maior tempo de prática apresentaram maior desmotivação e regulação externa.

 

Referências

BALANCHO, M. J.; COELHO, F. Motivar os alunos –criatividade na relação pedagógica: conceitos e práticas. Lisboa: Texto Editora. 1996.

BEDENDO, A.; ANDRADE, A. L. M.; NOTO, A. R. Prática esportiva e uso de substâncias entre estudantes do ensino médio: diferentes perspectivas dessa relação. SMAD Revista Eletrônica Saúde Mental Álcool e Drogas (Edição em Português), v. 11, n. 2, p. 85-96, 2015. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/smad/article/view/104741. Acesso em: 30 de ago de 2021.

BEZERRA, M. A. A. et al. Motivação para prática desportiva de adolescentes escolares. Brazilian Journal of Development, v. 5, n. 11, 2019. Disponível em: https://www.brazilianjournals.com/index.php/BRJD/article/view/4257. Acesso em: 30 de ago de 2021.

BEZERRA, M. A. A., et al. (2021). Fatores Limitantes Para Prática De Atividade Física Em Adolescentes Escolares. BIOMOTRIZ, 15(1), 205-214. https://doi.org/10.33053/biomotriz.v15i1.476

CARDOSO, L. M. Fatores motivacionais para a prática do futsal feminino, numa equipe de rendimento sub-17 – um estudo de caso. 2012. 45 f. Trabalho de Conclusão do Curso de Educação Física - Bacharelado, Universidade do Extremo Sul Catarinense - Unesc, Criciúma, 2012. Disponível em: http://repositorio.unesc.net/handle/1/1482. Acesso em: 30 de ago de 2021.

COSTA, F., & MANOEL, B. (2021). Influência De Preditores Motivacionais Na Adesão E Aderência A Prática De Exercícios Físicos. BIOMOTRIZ, 14(4), 89-101. https://doi.org/10.33053/biomotriz.v14i4.248

DOSIL J. Motivación: motor del deporte. Psicologia de la atividade física y del deportes. Madrid: McGrawHill. 2004.

DUTRA, G. Fatores motivacionais de crianças e adolescentes praticantes de futsal em ambientes com diferentes propostas de ensino. Trabalho de Conclusão do curso de Licenciatura em Educação Física, Universidade Federal de Santa Catarina, 2017. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/184761. Acesso em: 30 de ago de 2021.

FREIRE, G. L. M. et al. Are the traits of perfectionism associated with pre-competitive anxiety in young athletes?. Cuadernos de Psicología del Deporte, v. 20, n. 2, p. 37-46, 2020. Disponível em: https://revistas.um.es/cpd/article/view/406031. Acesso em: 20 de ago de 2021.

LEAL, E. A.; MIRANDA, G. J.; CARMO, C. R. S. Teoria da autodeterminação: uma análise da motivação dos estudantes do curso de ciências contábeis. Revista Contabilidade & Finanças, v. 24, n. 62, p.162-173. 2013. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1519-70772013000200007. Acesso em: 30 de ago de 2021.

LOURENÇO, A. A.; PAIVA, M. O. A. de. A motivação escolar e o processo de aprendizagem. Ciências & Cognição. 2010. Disponível em: http://cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/313. Acesso em: 30 de ago de 2021.

LUCKWÜ, R. M. Relação entre idade, tempo de prática e motivação em jovens competidores de atletismo de nível nacional. Congresso Internacional de Atividade Física, Nutrição e Saúde. 2016. Disponível em: https://eventos.set.edu.br/CIAFIS/article/view/3049. Acesso em: 30 de ago de 2021.

MACHADO, A. A. Interferência da torcida na ansiedade e agressividade de atletas adolescentes. Tese apresentada ao concurso para obtenção do Título de Livre-Docente do Instituto de Biociências, UNESP – Campus de Rio Claro. 1998. Disponível em: <http://hdl.handle.net/11449/116110>. Acesso em: 30 de ago de 2021.

MIRANDA, R.; FILHO, M. B. Construindo um atleta vencedor: uma abordagem psicofísica do esporte. Artmed Editora. 2009.

MIZOGUCHI, M. V.; BALBIM, G. M.; VIEIRA, L. F. Estilo parental, motivação e satisfação de atletas de beisebol: um estudo correlacional. Revista da Educação Física/UEM, v. 24, n. 2, p. 215-223, 2013. Disponível em: https://www.scielo.br/j/refuem/a/fD4WvqSZJ5m3DqsG7x3Wkjp/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 30 de ago de 2021.

MURCIA, J. A. M. et al. Efeitos do gênero, a idade e a frequência de prática na motivação e o desfrute do exercício físico. Fitness & Performance Journal, v. 6, n. 3, p. 140-146, 2007. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/751/75117201002.pdf. Acesso em: 30 de ago de 2021.

MURCIA, J. A. M.; COLL, D. G-C. A permanência de praticantes em programas aquáticos baseada na Teoria da Autodeterminação. Fitness & Performance Journal, v. 5, n. 1, 2006. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/751/75117026001.pdf. Acesso em: 30 de ago de 2021.

MURTAGH, F.; HECK, A. Multivariate data analysis. Springer Science & Business Media, 2012.

NASCIMENTO JUNIOR, J. R. A. et al. Adaptação transcultural e análise das propriedades psicométricas da Sport Motivation Scale-II no contexto brasileiro. Revista da Educação Física/UEM, v. 25, n. 3, p. 441-458, 2014. Disponível em: https://doi.org/10.4025/reveducfis.v25i3.24855. Acesso em: 30 de ago de 2021.

NASCIMENTO JUNIOR, J. R. A. et al. Perfeccionismo: um traço adaptativo ou maldaptativo para as necessidades psicológicas básicas de motivação no futsal?. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, v. 33, p. 413-424, 2019. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/rbefe/article/view/170535. Acesso em: 30 de ago de 2021.

NASCIMENTO JUNIOR, J. R. A. et al. La motivación del deportista y la calidad de su relación con el entrenador. Apunts. Educación Física y Deportes, v. 142, p. 21-28, 2020. Disponível em: https://www.redalyc.org/jatsRepo/5516/551666110003/551666110003.pdf. Acesso em: 30 de ago de 2021.

PEDRO, S.; MARTINS, P. Suporte de autonomia, empenhamento e perceção subjetiva de esforço em lutadores. Revista Iberoamericana de Psicología del Ejercicio y el Deporte, Las Palmas, v. 12, n. 2, p. 279-86, 2017. Disponível em: https://scholar.google.com.br/scholar?hl=pt-BR&as_0%2C5&q=PEDRO%2C+S.%3B+MARTINS%2C+P.+Suporte+de+autonomia%2C+empenhamento+e+perce%C3%A7%C3%A3o+subjetiva+de+esfor%C3%A7o+em+lutadores.+Revista+Iberoamericana+de+Psicolog%C3%ADa+del+Ejercicio+y+el+Deporte%2C+Las+Palmas%2C+v.+12%2C+n.+2%2C+p.+279-86%2C+2017.++&btnG=. Acesso em: 30 de ago de 2021.

PEIXOTO, E. M. et al. Indicadores de motivação e paixão para prática esportiva em atletas brasileiros: um estudo sob a ótica da autodeterminação. Psicologia Revista, v. 27, p. 563-589, 2018. Disponível em: https://doi.org/10.23925/2594-3871.2018v27i3p563-589. Acesso em: 30 de ago de 2021.

PELLETIER, L. G. et al. Validation of the revised sport motivation scale (SMS-II). Psychology of Sport and Exercise, v. 14, n. 3, p. 329-341, 2013. Disponível em: https://doi.org/10.1016/j.psychsport.2012.12.002. Acesso em: 30 de ago de 2021.

PERES, L.; LOVISOLO, H. Formação esportiva: teoria e visões do atleta de elite no Brasil. Revista da Educação Física/UEM, 17(2), 211-218. 2006. Disponível em: https://periodicos.uem.br/ojs/index.php/RevEducFis/article/view/3343. Acesso em: 30 de ago de 2021.

ROCHA, C. C. M. A motivação de adolescentes do ensino fundamental para a prática de educação física escolar. 2009. Tese de Doutorado. Disponível em: http://hdl.handle.net/10400.5/2141. Acesso em 30 de ago de 2021.

RODRIGUES, P. A. M. C. Aplicação da teoria da autodeterminação no contexto da prática do surf: o efeito do género, idade, experiência de prática e contexto no comportamento autodeterminado. Dissertação apresentada no Instituto Superior de ciências da Saúde – Norte. 2015. Disponível em: https://repositorio.cespu.pt/handle/20.500.11816/390. Acesso em: 30 de ago de 2021.

RUFINI, S. É.; BZUNECK, J. A.; OLIVEIRA, K. L. A qualidade da motivação em estudantes do ensino fundamental. Paidéia (Ribeirão Preto), v. 22, n. 51, p. 53-62, 2012. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0103-863X2012000100007. Acesso em: 30 de ago de 2021.

Ryan, R. M.; Deci, E. L. Research on intrinsic and extrinsic motivation is alive, well, and reshaping 21st-century management approaches: Brief reply to Locke and Schattke (2019). Motivation Science, v. 5, n. 4, p. 291–294, 2019. Disponível em: https://doi.org/10.1037/mot0000128. Acesso em: 30 de ago de 2021.

RIGBY, C. S.; RYAN, R. M. Teoria da autodeterminação no desenvolvimento de recursos humanos: novos rumos e considerações práticas. Avanços no desenvolvimento de recursos humanos, v. 20, n. 2, . 133-147, 2018.

SIQUEIRA, N. F. Psicologia e Esporte: o papel da motivação. Ciência & Inovação, 2014. Disponível em: http://www.faculdadedeamericana.com.br/revista/index.php/Ciencia_Inovacao/article/view/20. Acesso em: 30 de ago de 2021.

THOMAS, J. R.; NELSON, J. K.; SILVERMAN, S. J. Research methods in physical activity. Human kinetics, 2015.

Downloads

Publicado

2022-03-17

Como Citar

Morais Freire, G. L. ., Araújo Veras, K. M., Ferreira dos Santos, G. ., da Silva Santos, J. ., Fiorese, L. ., & Andrade do Nascimento Junior, J. R. (2022). COMPARAÇÃO DA MOTIVAÇÃO PELO ESPORTE EM ADOLESCENTES DA CIDADE DE PETROLINA-PE EM RAZÃO DO SEXO, IDADE E TEMPO DE PRÁTICA. BIOMOTRIZ, 16(1), 70-80. https://doi.org/10.33053/biomotriz.v16i1.562

Edição

Seção

Artigos