RELAÇÃO DA HIDROGINÁSTICA COM O DESEMPENHO OCUPACIONAL E ASPECTOS PSICOLÓGICOS EM INDIVÍDUOS DA TERCEIRA IDADE: REVISÃO SISTEMÁTICA

Autores

  • Mateus Benedito Carvalho Universidade Estadual do Norte do Paraná
  • Walcir Ferreira Lima Universidade Estadual do Norte do Paraná
  • Silvia Bandeira da Silva Lima Universidade Estadual do Norte do Paraná
  • Aryanne Hydeko Fukuoka Bueno Universidade Estadual do Norte do Paraná
  • Mariane Aparecida Coco Universidade Estadual do Norte do Paraná
  • Flávia Évelin Bandeira Lima Universidade Estadual do Norte do Paraná, Jacarezinho, PR, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.33053/biomotriz.v16i1.730

Resumo

O objetivo deste estudo foi verificar o efeito da idade (sub-13 versus sub-15) e do momento da competição (início da temporada versus final da temporada) nos níveis de ansiedade pré-competitiva de atletas de basquetebol. Participaram do estudo, de forma voluntária, 26 atletas federados do sexo masculino de duas categorias: sub-13 (13 atletas) e sub-15 (13 atletas). Os atletas responderam o Competitive State Anxiety Inventory - 2R (CSAI[1]2R) antes da primeira partida da temporada e antes da partida da final da temporada. Os resultados revelaram a inexistência de diferenças entre os grupos para todas as variáveis (ansiedade somática, ansiedade cognitiva e autoconfiança), comparando[1]os no início e no final da temporada. Também foi verificado que os atletas, independente do grupo ou do momento da coleta, apresentam escores elevados de autoconfiança, comparados ao de ansiedade somática e cognitiva. Pode-se concluir que não houve efeito da idade e do momento competitivo para este estudo, pois não houve diferença entre os grupos para nenhuma variável e/ou momento competitivo, e que durante a temporada os dois grupos apresentaram alto escore de autoconfiança e baixo escore de ansiedade (cognitiva e somática), ou seja, pode-se dizer que a autoconfiança atuou como reguladora da ansiedade, como previsto pela teoria multidimensional da ansiedade.

Referências

RAZIL OLD SCHEDULE – BOAS. Questionário multidimensional para estudos comunitários na população idosa. Rio de Janeiro: Instituto de Medicina Social. Universidade Estadual

do Rio de Janeiro, 1987.

CORBETT, D. B. et al. Social participation modifies the effect of a structured physical activity program on major mobility disability among older adults: Results from the LIFE study. The

Journals of Gerontology: Series B, v. 73, n 8, p. 1501-1513, 2017.

DA ROCHA, J. A. O envelhecimento humano e seus aspectos psicossociais. Revista Farol, v.

, n. 6, p. 78-89, 2018.

DE SOUSA, B. A. et al. Apoio social e atividade física de idosos: revisão sistemática de estudos observacionais. Revista Brasileira em Promoção da Saúde, v. 32, 2019.

DONKERS, H. W. et al. Evaluating the social fitness Programme for older people with cognitive problems and their caregivers: lessons learned from a failed trial. BMC geriatrics, v. 18,

n. 1, p. 237, 2018.

ELIAS, R. G. M. et al. Aptidão física funcional de idosos praticantes de hidroginástica. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia., Rio de Janeiro, v. 15, n. 1, p. 79-86, 2012.

ESTIVALET, K. M.; CORAZZA, S. T. Desempenho ocupacional de idosos praticantes de

hidroginástica. Cadernos Brasileiros de Terapia Ocupacional, v. 2 n.25, p. 315-323, 2017.

FARINATTI, P. T. V. Envelhecimento promoção da saúde e exercício: tópicos especiais em

aspectos biológicos e psicossociais. Barueri, SP. Manole Ltda, 2013.

GALLOZA, J., CASTILLO, B., MICHEO, W. Benefits of Exercise in the Older Population.

Physical medicine and rehabilitation clinics of North America, v.28, n.4, p. 659–669,

GONÇALVES, K. C. et al. Comparação entre a percepção da qualidade de vida e o nível de

aptidão física de idosos praticantes de atividades aquáticas. Revista de Atenção à Saúde, v.

, n. 39, p. 35-43, 2014.

ISTOE, R. S. C.; MANHÃES, F. C.; SOUZA, C. H. M. Envelhecimento humano em processo. Rio de Janeiro: Brasil Multicultural Editora, 2018.

LAW, M. et al. Medida Canadense de Desempenho Ocupacional (COPM). Belo Horizonte: Editora Universidade Federal de Minas Gerais, 2009.

MOHER, D. et al. Preferred reporting items for systematic reviews and meta-analyses: the

PRISMA statement. Journal of Clinical Epidemiology, v. 62, n. 10, p. 1006-12, 2009.

OLIVEIRA-SILVA, I.; ARCANJO, L. R. B.; Papel da hidroginástica na capacidade funcional

de idosos. Revista Educação em Saúde, v. 5, n. 1, p. 16-20, 2017.

QUADROS, R. B.; DIAS, J. F. S.; SILVA MARQUES, C. L. A prática de atividades aquáticas

na busca de harmonia biopsicossocial. Estudos Interdisciplinares Sobre o Envelhecimento,

v. 17, n. 2, p. 333-351. 2012.

REICHERT, T. et al. Efeitos da hidroginástica sobre a capacidade funcional de idosos: metanálise de estudos randomizados. Revista Brasileira de Atividade Física e Saúde, v.20, n.5,

p.447-457, 2015.

RICA, R. L. et al. Effects of water-based exercise in obese older women: impact of short-term

follow-up study on anthropometric, functional fitness and quality of life parameters. Geriatrics & Gerontology International, v. 13, n. 1, p. 14- 20, 2012.

RIKLI, R.; JONES, C.J. Development and validation of a functional fitness test for community-residing older adults. Journal of Aging and Physical Activity, v.7, p.129–161, 1999.

SAMPAIO, R. F.; MANCINI, M. C. Estudos de revisão sistemática: um guia para síntese criteriosa da evidência científica. Revista Brasileira de Fisioterapia, v. 11, n. 1, p. 83-89, 2007.

SANTOS, C. M. C.; PIMENTA, C. A. de M.; NOBRE, M. R. C. A estratégia PICO para a

construção da pergunta de pesquisa e busca de evidências. Revista Latino Americana de

Enfermagem, v. 15, n. 3, p. 508-511, 2007.

SERRA, A. J. et al. Determination of body density by generalized equations: easiness and

simplification in the method. ConScientiae Saúde, v.8, p.19–24, 2009.

Downloads

Publicado

2022-05-17

Como Citar

Benedito Carvalho , M., Ferreira Lima, W., Bandeira da Silva Lima, S., Hydeko Fukuoka Bueno, A. ., Aparecida Coco, M., & Bandeira Lima, F. Évelin. (2022). RELAÇÃO DA HIDROGINÁSTICA COM O DESEMPENHO OCUPACIONAL E ASPECTOS PSICOLÓGICOS EM INDIVÍDUOS DA TERCEIRA IDADE: REVISÃO SISTEMÁTICA. BIOMOTRIZ, 16(1), 129-139. https://doi.org/10.33053/biomotriz.v16i1.730

Edição

Seção

Artigos