A CURRICULARIZAÇÃO DA EXTENSÃO: FEEDBACK DE ACADÊMICOS DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA SOBRE UMA VIVÊNCIA REALIZADA JUNTO AO PROJETO ATENÇÃO À SAÚDE DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA DA UNIJU͹

Autores

  • Luisa Azzolin Ávila
  • Brenda Franco Alves
  • Caroline Ragagnin Fortes
  • Helin Tainá Kohnleain
  • Ana Carolina Fernandes
  • Giulia Rodrigues Stormowski
  • Camila Lena Martini
  • Karina Ribeiro Rios
  • Moane Marchesan Krug UNIJUI

DOI:

https://doi.org/10.33053/biomotriz.v16i1.758

Palavras-chave:

Integração. Atividade física. Coletividade. Deficiência.

Resumo

A extensão universitária é um espaço de vínculo com a comunidade, que visa contribuir com a sociedade e fortalecer o processo de formação dos (as) acadêmicos (as). O Projeto “Atenção à Saúde da Pessoa com Deficiência”, da UNIJUÍ, vem realizando diferentes ações na comunidade e envolvendo não apenas os (as) alunos (as) que participam deste espaço, mas também, todos (as) os (as) graduandos (as) da instituição. Os benefícios desta participação ainda não foram relatados e, deste modo, o objetivo deste artigo foi conhecer a percepção de acadêmicos do Curso de Educação Física da UNIJUÍ sobra a participação em uma das ações do projeto, denominada Movimento Delivery, divulgando os mesmos na própria Instituição. Para isso foi realizada uma pesquisa qualitativa, com 13 acadêmicos do curso de Bacharelado em Educação Física da UNIJUÍ, matriculados na disciplina de Práticas Corporais e Saúde V (primeiro semestre de 2021). Os dados foram coleados por um questionário on-line, sendo tratados pela técnica de análise de conteúdo. Os (as) acadêmicos (as) relataram que a participação e organização no evento foi bastante positiva e, suas percepções foram categorizadas do seguinte modo: a) Trabalho coletivo e conhecimentos diferentes; b) Conhecer e vivenciar todos os espaços da universidade; c) Experiência profissional de maneira segura. Com base nos resultados é possível concluir que a curricularização da extensão agrega muito no processo de formação, além de promover a qualificação dos futuros profissionais. Deste modo, essas vivências deveriam acontecer com mais frequência durante a graduação, bem como, por meio dos componentes curriculares

Referências

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Superior. Resolução nº 7, de 18 de dezembro de 2018. Brasília - DF, 2018, 4p.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011, 229 p.

BERWANGER, V.; EMILENE BERWIG, S. Participação E Interação Dos Acadêmicos Em Eventos Virtuais. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 12, n. 2, 2020. Disponível em: https://periodicos.unipampa.edu.br/index.php/SIEPE/article/view/107411.

BRITO, E.; SILVA, A. L. et al. Importância da Extensão Universitária na Formação Profissional: Projeto Canudos. Revista de Enfermagem, v. 13, n. e242189, p. 1-8, 2019. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/view/242189.

FREITAS, Janainna Valéria Duarte et al. Atividades desenvolvidas pelo Projeto de Extensão Entardecer Científico para a realização de um evento online: relato de experiência. Anais do Seminário Regional de Extensão Universitária da Região Centro-Oeste (SEREX). , n. 5, p. 653-659, dez., 2021. ISSN 2764-1570. Disponível em: https://www.anais.ueg.br/index.php/serex/article/view/14909

HARTWIG, L. F. et al. A Extensão Universitária e suas Interfaces com a Formação Inicial em Educação Física. BIOMOTRIZ. v. 16, n. 1, p. 94-106. 2022.

https://doi.org/10.33053/biomotriz.v16i1.678

PINHO, Márcia Cristina Gomes de. Trabalho em equipe de saúde: limites e possibilidades de atuação eficaz. Ciência e Cognição., Rio de Janeiro , v. 8, p. 068-087, ago. 2006 . Disponível em http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-58212006000200009&lng=pt&nrm=iso.

SANTOS, S. S.; ARAÚJO, L. J. C.; JOAZEIRO, E. M. G. Desigualdade social, formação profissional e trabalho coletivo da e na saúde: dilemas da atualidade. Brazilian Journal of Development, v. 5, n. 2, p. 1315-1325, 2019. Disponível em: https://brazilianjournals.com/index.php/BRJD/article/view/1103.

SILVA, Cláudia Sampaio Corrêa; TEIXEIRA, Marco Antônio Pereira. Experiências de Estágio: Contribuições para a Transição Universidade-Trabalho. Paidéia, v. 23, n. 54, p. 103-112, 2013. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1982-43272354201312. Disponível em: https://www.scielo.br/j/paideia/a/f3B8djJHgr8THkPCmsKMDfb/abstract/?lang=pt.

WELLICHAN, Danielle da Silva Pinheiro; SANTOS, Marcella Garcia Ferreira dos. Atividade física adaptada para a pessoa com deficiência: o CrossFit Adaptado para um grupo com cadeirantes e amputado. Temas em Educação e Saúde, Araraquara, v. 15, n. 1, p. 146-158, jan./jun., 2019. e-ISSN 2526-3471. ISSN 1517-7947. DOI: 10.26673/tes.v15i1.12700. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/tes/article/view/12700.

SOUSA, Ana Luiza Lima. A história da extensão universitária. 1. ed. Campinas: Ed. Alínea, 2000. 138 p

Downloads

Publicado

2022-08-03

Como Citar

Azzolin Ávila, L. ., Franco Alves, B. ., Ragagnin Fortes, C. ., Tainá Kohnleain, H. ., Fernandes, A. C. ., Rodrigues Stormowski, G. ., Lena Martini, C. ., Karina Ribeiro Rios, & Krug, M. M. (2022). A CURRICULARIZAÇÃO DA EXTENSÃO: FEEDBACK DE ACADÊMICOS DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA SOBRE UMA VIVÊNCIA REALIZADA JUNTO AO PROJETO ATENÇÃO À SAÚDE DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA DA UNIJU͹. BIOMOTRIZ, 16(1), 177-185. https://doi.org/10.33053/biomotriz.v16i1.758

Edição

Seção

Artigos