PLURIATIVIDADE COMO ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO SOCIOECONÔMICO: UM ESTUDO NO MUNICÍPIO DE DONA FRANCISCA/RS

Autores

  • Ivo Elesbão UFSM
  • Antonio Luiz Fantinel
  • Yesica Ramirez Flores

DOI:

https://doi.org/10.33053/gedecon.v8i1.170

Palavras-chave:

Renda. Novas atividades. Não agrícolas.

Resumo

Atividades pluriativas estão se tornando cada vez mais importantes no contexto de pequenas propriedades rurais. No entanto, verifica-se ainda um longo caminho para a compreensão do papel da pluriatividade nas diferentes comunidades rurais brasileiras. Inúmeros aspectos sobre a presença de atividades pluriativas e seus efeitos no desenvolvimento socioeconômico precisam ser compreendidos. Nesse sentido, o objetivo deste estudo foi analisar a presença de atividades pluriativas no município de Dona Francisca/RS. O trabalho exploratório analisou um conjunto de propriedades rurais na localidade Linha do Moinho. As famílias foram divididas pelo setor de atividade (agrícolas, pluriativas e não agrícolas). Com base nas relações de ocupação produtiva e condições sociodemográficas, verificou-se que há uma demanda crescente dos atores sociais da localidade por atividades pluriativas, apesar da importância das atividades agrícolas. Os resultados encontrados refletem uma nova realidade, permeada pela busca por novas atividades para complementar e/ou ampliar a renda familiar.

Referências

AGNETE ALSOS, G.; LJUNGGREN, E.; TORIL PETTERSEN, L. Farm-based entrepreneurs: what triggers the start-up of new business activities? Journal of Small Business and Enterprise Development, v. 10, n. 4, p. 435-443, 2003. DOI: https://doi.org/10.1108/14626000310504747

AIRES, C. H. L.; SALAMONI, G. Agricultura familiar e as relações sociais de trabalho: um estudo sobre a pluriatividade na Vila Freire – Cerrito–RS. Geografia Ensino & Pesquisa, v. 17, n. 1, 2013, 41-54. DOI: http://dx.doi.org/10.5902/223649948738

ALENTEJANO, P. R. Pluriatividade: uma noção válida para a análise da realidade agrária brasileira. In: TEDESCO, J. C. Agricultura Familiar: Realidades e Perspectivas, 1999.

ALVES, A. F. O caráter multifuncional da agricultura: um estudo de caso no município de Rio do Sul-Alto Vale do Itajaí-SC. 2004. http://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/86934

CANDIOTTO, L. ZP. Aspectos históricos e conceituais da multifuncionalidade da agricultura. XIX Encontro Nacional de Geografia Agrária, 2009. http://www.geografia.fflch.usp.br

CARNEIRO, M. J. Pluriatividade: uma resposta à crise da exploração familiar. XVII Reunião da APIPSA. Porto Alegre, 1994.

CARNEIRO, M. J. Ruralidade: novas identidades em construção. Estudos, Sociedade e Agricultura, n. 11, 1998. p. 53-75.

CONTERATO, M. A. A mercantilização da agricultura familiar do Alto Uruguai/RS: um estudo de caso no município de Três Palmeiras. 2004.

CONTERATO, M. A. et al. A Pluriatividade e suas implicações para a qualidade de vida dos agricultores familiares: aproximações para o caso do Rio Grande do Sul. In: 44th Congress. Sociedade Brasileira de Economia, Administração e Sociologia Rural (SOBER), 2006. http://purl.umn.edu/146607

DE OLIVEIRA, P. D.; AGOSTINI, F. M.; WRONSKI, K. J. O espaço rural do Extremo Oeste De Santa Catarina e os agentes produtores: A Agricultura Familiar E A Pluriatividade. Infinity, 2(1) 2017. http://revista.faifaculdades.edu.br:8080/index.php/infinity/article/view/291/185

FARM BUSINESS UNIT. Farm Business Survey in Wales: Statistical Results for 2012/13. 2013.

FIÚZA, A. L. de C.; PINTO, N. M. de A.; BRAGA, G. B. The way of life of pluriactivity farmers in Minho villages in Northwest Portugal. Ciência Rural, v. 44, n. 12, p. 2279-2285, 2014. http://dx.doi.org/10.1590/0103-8478cr20131580

FULLER, A. M. Part time farming and the farm family: a note for future research. Sociologia Ruralis, v. 23, n. 1, 1983, p. 5-10.

GALLEGO, R. S. Género y ruralidad: las mujeres ante el reto de la desagrarización. Instituto de la Mujer, 1996.

GASPARI, L. C.; KHATOUNIAN, C. A.; MARQUES, P. E. M. O papel da agricultura entre as famílias pluriativas assentadas em região metropolitana: o caso do assentamento Milton Santos em Americana e Cosmópolis/SP. NERA, n. 41, p. 85-101, 2018.

GASSON, R. M. The economics of part-time farming. Longman Sc & Tech, 1988.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Agropecuário 2006. Rio de Janeiro: IBGE, 2010. http://www.ibge.gov.br>. Acesso em: 11 abr. 2016.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Demográfico. Rio de Janeiro: IBGE, 2010. http://www.ibge.gov.br>. Acesso em: 05 fev. 2016.

LAURENTI, A. C. Terceirização na Produção Agrícola: a dissociação entre a propriedade e o uso dos instrumentos de trabalho na moderna produção agrícola. IAPAR, 2000.

LINDNER, M.; FERREIRA, E. R.; SOUZA, M. de. A exploração das ruralidades na revalorização do espaço rural: estímulos ao desenvolvimento do turismo na Quarta Colônia de Imigração Italiana, RS – Brasil. 2009. UFRGS. Disponível em:< http://hdl.handle.net/10183/17120

MACHADO, A. G.; CAUME, D. J. Multifuncionalidade e pluriatividade como alternativas de desenvolvimento da agricultura familiar no Brasil. In: 46th Congress. Sociedade Brasileira de Economia, Administração e Sociologia Rural (SOBER), 2008. http://purl.umn.edu/108090

MACHADO, A. M. B.; CASALINHO, H. D. Crítica à pluriatividade e suas relações com o campesinato e a reforma agrária. NERA, n. 17, p. 65-80, 2010.

NIEDERLE, P. A. Mercantilização, estilos de agricultura e estratégias reprodutivas dos agricultores familiares de Salvador das Missões, RS. 2007. http://hdl.handle.net/10183/11008

SAKAMOTO, C. S.; NASCIMENTO, C. A.; MAIA, A. G. As Famílias Pluriativas e Não Agrícolas no Rural Brasileiro: condicionantes e diferenciais de renda. Revista de Economia e Sociologia Rural, 54(3), 2016, 561-582. http://dx.doi.org/10.1590/1234-56781806-94790540309

SCHNEIDER, S. A pluriatividade e o desenvolvimento rural brasileiro. In. FILHO, F. B. B. Agricultura Familiar e Desenvolvimento Territorial – Contribuições ao Debate. Brasília: Universidade de Brasília, Centro de Estudos Avançados Multidisciplinares, Núcleo de Estudos Avançados. v. 5. n. 17, 2005.

SCHNEIDER, S. La pluriactividade nel medio rural brasileño: características y perspectivas para lainvestigación. In: GRAMMONT, H. C.; MARTINEZ VALLE, L. (Org.). La pluriactividade nel campo latinoamericano. Quito/Equador: Ed. Flacso - Serie FORO, v. 1, 2009, pp. 132-161.

SCHNEIDER, S. Rurbanização e pluriatividade: o mercado de trabalho não-agrícola e a pluriatividade das famílias em áreas rurais. In: CARVALHO, F; GOMES, M. M.; LÍRIO, V.S. (Org.). Desigualdades sociais: pobreza, desemprego e questão agrária. Viçosa, 2003.

SCHNEIDER, S.; CONTERATO, M. Transformaciones agrarias, tipos de pluriactividad y desarrollo rural: consideraciones a partir de Brasil. In: NEIMAN, G.; CRAVIOTTI, C. (Org.). Entre el Campo y la Ciudad. Buenos Aires: Ed. Ciccus, 2005, p. 307-348.

SHUCKSMITH, D. M., BRYDEN, J., ROSENTHALL, P., SHORT, C., & WINTER, D. M. Pluriactivity, farm structures and rural change. Journal of Agricultural Economics, 40(3), 1989, 345-360.

SILVA, J. G. da. O novo rural brasileiro. Nova economia, 7(1), 1997, p. 43-81.

SILVA, J. G. da. Velhos e novos mitos do rural brasileiro. Estudos Avançados, v. 15, n. 43, 2001, p. 37-50.

SOFER, M. Pluriactivity in the Moshav: family farming in Israel. Journal of Rural Studies, v. 17, n. 3, 2001, p. 363-375. Doi: https://doi.org/10.1016/S0743-0167(01)00012-2

UNIVERSITY COLLEGE OF WALES (ABERYSTWYTH; WALES). DEPT. OF AGRICULTURAL ECONOMICS. Farm Business Survey in Wales, Statistical Results for. Department of Agricultural Economics, University College of Wales, 1985.

VIELMO, O.; DRUMM, E. C.; DEPONTI, C. M. A gestão da agricultura familiar: pluriatividade, diversificação da produção e agricultura orgânica: um estudo de caso da região da campanha. COLÓQUIO, v. 14, n. 2, 2018, p. 49-68.

WELLER, J. El empleo rural no agropecuario en el Istmo Centroamericano. Revista de la CEPAL, 1997. http://repositorio.cepal.org/handle/11362/12061

Downloads

Publicado

2020-10-01

Como Citar

Elesbão, I., Fantinel, A. L., & Flores, Y. R. . (2020). PLURIATIVIDADE COMO ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO SOCIOECONÔMICO: UM ESTUDO NO MUNICÍPIO DE DONA FRANCISCA/RS. Revista GEDECON - Gestão E Desenvolvimento Em Contexto, 8(1), 74-86. https://doi.org/10.33053/gedecon.v8i1.170

Edição

Seção

Artigos - Economia e Desenvolvimento Regional