GESTÃO DA MANUTENÇÃO PREVENTIVA NO ÂMBITO DA NORMA DE DESEMPENHO

Autores

  • Marcelo Fabiano Costella Universidade Comunitária da Região de Chapecó, Chapecó, SC, Brasil e Faculdade Meridional IMED, Passo Fundo, RS, Brasil
  • Claudivana Sistherenn Pagliari Universidade Comunitária da Região de Chapecó, Chapecó, SC, Brasil
  • Monike de Medeiros Costella Universidade Comunitária da Região de Chapecó, Chapecó, SC, Brasil
  • Carlos Eduardo Tosin Universidade Comunitária da Região de Chapecó, Chapecó, SC, Brasil e Universidade do Estado de Santa Catarina, Chapecó, SC, Brasil
  • Silvio Edmundo Pilz Universidade Comunitária da Região de Chapecó, Chapecó, SC, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.33053/gedecon.v8i1.177

Palavras-chave:

Manutenção Predial. Vida Útil. NBR 15575.

Resumo

 A norma de desempenho NBR 15575 apresenta à construção civil conceitos de desempenho, durabilidade e vida útil, os quais dependem de procedimentos de manutenção preventiva ao longo do tempo visando atingir o desempenho projetado. Desse modo, a pesquisa tem por objetivo propor um novo modelo de manutenção preventiva com foco nas periodicidades e comparar com o Guia nacional para elaboração do manual de uso, operação e manutenção das edificações proposto pela CBIC. O método consistiu em entrevistas com engenheiros, arquitetos e construtores, buscando o período ideal para a realização da manutenção corretiva de cada sistema presente em uma edificação. Por meio desses resultados foi elaborada uma tabela relacionando os períodos de manutenção obtidos com a pesquisa e os estabelecidos no manual base, assim nomeado o manual da CBIC no decorrer do trabalho. Como resultado principal foram identificadas no manual proposto pela CBIC a necessidade de 1618 manutenções preventivas no período de três anos, enquanto o manual sugerido propõe 641 manutenções no mesmo período. Desse modo, a discussão se concentra em definir um manual de manutenções com periodicidades consideradas adequados e viáveis ao usuário da edificação, suficientes para o alcance da vida útil estimada para a edificação.

Biografia do Autor

Marcelo Fabiano Costella, Universidade Comunitária da Região de Chapecó, Chapecó, SC, Brasil e Faculdade Meridional IMED, Passo Fundo, RS, Brasil

https://orcid.org/0000-0001-6471-9848

Claudivana Sistherenn Pagliari, Universidade Comunitária da Região de Chapecó, Chapecó, SC, Brasil

https://orcid.org/0000-0003-0424-1293

Monike de Medeiros Costella, Universidade Comunitária da Região de Chapecó, Chapecó, SC, Brasil

https://orcid.org/0000-0001-6784-736X

Carlos Eduardo Tosin, Universidade Comunitária da Região de Chapecó, Chapecó, SC, Brasil e Universidade do Estado de Santa Catarina, Chapecó, SC, Brasil

https://orcid.org/0000-0003-0120-3101

Silvio Edmundo Pilz, Universidade Comunitária da Região de Chapecó, Chapecó, SC, Brasil

https://orcid.org/0000-0003-0361-7658

Referências

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS (ABNT). NBR 14037: Manual de operação, uso e manutenção das edificações – Conteúdo e recomendações para elaboração e

apresentação. Rio de Janeiro, 2014.

_______. – NBR 5674: Manutenção de edificações – Requisitos para o sistema de gestão de

manutenção. Rio de Janeiro, 2012.

_______. – NBR 15575-1: Edificações habitacionais – Desempenho, Parte 1: Requisitos

gerais. Rio de Janeiro, 2013.

CÂMARA BRASILEIRA DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO (CBIC). Guia nacional

para elaboração do manual de uso, operação e manutenção das edificações. Brasília,

CASTRO, U. R. Importância da manutenção predial preventiva e as ferramentas para

sua execução. Monografia (Especialização em Construção Civil) – Escola de Engenharia da

Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2007.

HERNÁNDEZ-MORENO, S. Aplicación de la información de la vida útil em la planeación y

diseño de proyectos de edificación. Acta Universitaria, Universidad de Guanajuato, v. 21, n.

, p. 37-42, 2011.

JOHN, V. M.; SATO, N. M. N. Durabilidade de componentes da construção. In: SATTLER,

M. A.; PEREIRA, F. O. R. Construção e Meio Ambiente. Porto Alegre: ANTAC, 2006. p.

-57. (Coleção Habitare, v. 7).

MENEGUZZI, A. P. F. Especificação dos processos de manutenção para atender a

vida útil de projeto conforme a NBR 15575, ABNT 2013. Monografia II (Graduação

em Engenharia Civil) – Universidade Comunitária Regional de Chapecó, Chapecó, Santa

Catarina, 2014.

MORENO, S. H. The method by factors to estimate service life in buildings projects

according to norm ISO 15686. Management Research and Practice, v. 4, n. 4, p. 5-11, 2012.

POSSAN, E.; DEMOLINER, C. A. Desempenho, durabilidade e vida útil das edificações:

abordagem geral. Revista Técnico Científica, Conselho Regional de Engenharia e

Agronomia do Paraná (CREA-PR), n. 1, 2013.

ROCHA, H. F. Importância da manutenção predial preventiva. HOLOS, v. 2, p. 72-77, 2007.

SILVA, A. O.; VEIGA, J. S.; MATTOS, P. A. Minimização das patologias na construção civil

à luz das teorias sobre manutenção preventiva das edificações. Revista Pensar Engenharia,

Belo Horizonte, v. 1, n. 2, 2013.

Downloads

Publicado

2020-10-01

Como Citar

Costella, M. F., Pagliari, C. S., Costella, M. de M., Tosin, C. E. ., & Pilz, S. E. (2020). GESTÃO DA MANUTENÇÃO PREVENTIVA NO ÂMBITO DA NORMA DE DESEMPENHO. Revista GEDECON - Gestão E Desenvolvimento Em Contexto, 8(1), 1-11. https://doi.org/10.33053/gedecon.v8i1.177

Edição

Seção

Artigos - Arquitetura e Urbanismo