A IMPESSOALIDADE NA GESTÃO: UM PROBLEMA GERADO PELO CAPITALISMO?

Autores

  • Matheus Andrade Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia
  • Davi Oliveira Sampaio Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

DOI:

https://doi.org/10.33053/gedecon.v8i1.178

Palavras-chave:

Impessoalidade; Capitalismo; Modernidade; Gestão; Pragmatismo

Resumo

Propõe-se, neste artigo, um debate sobre a visão de autores que defendem que a impessoalidade na gestão é um problema gerado pelo capitalismo frente a análises históricas que demonstram que os gestores tinham características fortes de impessoalidade e traçava suas metas gerenciais visando estabelecê-las. A impessoalidade advém do capitalismo ou a mesma vem sendo cultivada ao longo da história, na qual o modelo econômico figura-se apenas como um objeto propulsor e não sua causa primária? Não seria a organização uma representação em menor escala da relação monopolística do uso da violência por parte de quem controla o poder legitimado dado ao Estado? Estado este que é analisado, estudado, conceituado desde quando o modo de produção Ocidental era Escravista Antigo. O pragmatismo excessivo na liderança de um grupo de pessoas é um “mal capitalista” ou uma habilidade inerente à raça humana? Os administradores veem na relação de monopólio da violência e da coerção adquiridos pelo Estado um modelo a ser seguido dentro de suas organizações. É mostrado, a seguir, como é formulada a individualidade e a indiferença para com o próximo, muito antes do surgimento do capitalismo. Quanto à metodologia, trata-se de um estudo exploratório, bibliográfico e descritivo.

Referências

AVILA, Róber Iturriet. Construção do homo economicus e a sua necessária desconstrução. Ensaios FEE, v. 35, n. 2, 2014.

BERTERO, Carlos Osmar. Algumas observações sobre a obra de G. Elton Mayo. Revista de Administração de Empresas, v. 8, n. 27, p. 73-95, 1968.

CARVALHO NETO, Tarcísio Vieira de. O princípio da impessoalidade nas decisões administrativas. 2015. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo.

DIAS, Sandra. A arte de reduzir as cabeças: sobre a nova servidão na sociedade ultraliberal. Psic. Rev. São Paulo, n. 15(2): 249-253, novembro 2006. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/psicorevista/article/viewFile/18091/13447. Acesso em 22.nov.2019

FIGUEIREDO, Filipe. A vida de milhões de pessoas como barganha. Gazeta do Povo, 2019. Disponível em: https://www.gazetadopovo.com.br/vozes/filipe-figueiredo/erdogan-plano-refugiados-siria-politica/ . Acesso em 03.nov.2019.

GAULEJAC, Vicent de. Gestão como doença social. Ideologia, poder gerencialista e fragmentação social. (tradução Ivo Stomiolo). 3ªedição. Aparecida - SP. Ideias e Letras, 2007

MAQUIAVEL, Nicolau. O Príncipe. Editora: L&PM, v. 1, 2012.

Downloads

Publicado

2020-10-01

Como Citar

Andrade, M., & Sampaio, D. O. . (2020). A IMPESSOALIDADE NA GESTÃO: UM PROBLEMA GERADO PELO CAPITALISMO?. Revista GEDECON - Gestão E Desenvolvimento Em Contexto, 8(1), 99-113. https://doi.org/10.33053/gedecon.v8i1.178

Edição

Seção

Artigos - Direitos Humanos, Cidadania, Democracia e "novos direitos"