MENSURANDO A DIFERENÇA SALARIAL ENTRE MULHERES COM FILHOS AINDA CRIANÇA

Autores

  • ARLETE CHEROBINI ORTH UNILASALLE/LUCAS
  • Jusceliany   Rodrigues Leonel Correa UNEMAT - Universidade do Estado do Mato Grosso.
  • Claudia Alves Perez UNEMAT - Universidade do Estado do Mato Grosso.
  • Ederaldo José Pereira Lima UNIC - Universidade de Cuiabá
  • Danielle da Silva Batista UNEMAT - Universidade do Estado do Mato Grosso.

DOI:

https://doi.org/10.33053/gedecon.v9i1.306

Palavras-chave:

Discriminação salarial. Two-stage least squares (2SLS). Mulheres com filhos menores.

Resumo

O mercado de trabalho vem apresentando transformações persistentes ao longo das décadas. No Brasil essa transformação, principalmente com a revolução eletrônica, se intensificou a partir da abertura comercial e financeira do início dos anos 1990. Além do mais, a inserção da mulher na procura de vagas de emprego cresceu nas últimas duas décadas. Porém, mesmo apresentando características semelhantes aos homens, as mulheres recebem salários menores. Outra questão para as mulheres é a maternidade, a legislação na maior parte dos países, inclusive a brasileira, no momento da entrevista de emprego perguntar sobre os planos de engravidar é proibido, porém na prática isso não acontece e as mulheres acabam perdendo oportunidades de emprego. Já a realidade demonstra que as mulheres que apresentam filhos menores têm dificuldades em encontrar empregos e seus salários podem ser menores. Assim, esse estudo procura obter respostas empíricas sobre a questão dos salários das mulheres. O objetivo central é, através de um modelo econométrico com base em Mincer (1974), testar os instrumentos de educação dos pais, background familiar, desemprego, horas de trabalho entre outras, em uma regressão do tipo Two-Stage least squares (2SLS) que visa analisar a estrutura das equações e melhorar os preditores. Os resultados apontaram que as mulheres com filhos menores de 6 anos recebem entre 58% a 85%, dependendo da especificação, menores salários do que as mulheres que não tem filhos pequenos.

 

Biografia do Autor

Jusceliany   Rodrigues Leonel Correa, UNEMAT - Universidade do Estado do Mato Grosso.

Mestre em Contabilidade  - Fucape Business School 

Doutoranda/estudante, FUCAPE Business School, Brasil,

Rua das Petúnias 1395W – Flamboyants, CEP: 78450-000  - Nova Mutum – MT, Brasil.

 

Claudia Alves Perez, UNEMAT - Universidade do Estado do Mato Grosso.

Mestre em Educação - Universidade do Estado de Mato Grosso - UNEMAT.

Doutoranda/estudante, FUCAPE Business School

Rua Daveron, nº 236 - Bairro São José – Cáceres - MT, Brasil.

Ederaldo José Pereira Lima, UNIC - Universidade de Cuiabá

Mestre em Ciências Contábeis – Fucape Business School

Doutorando/estudante, FUCAPE Business School

 Avenida General Vale Bandeirantes, CEP: 78010-000 – Cuiabá – MT, Brasil

 

Danielle da Silva Batista, UNEMAT - Universidade do Estado do Mato Grosso.

Mestre em Ciências Ambientais - Universidade de Cuiabá/UNIC

Doutoranda/estudante, FUCAPE Business School, Brasil,

Rua: 54 número 254n,  Jardim Europa-Tangará da Serra-MT, Brasil.

Referências

Araújo, V. F., & Ribeiro, E. P. (2001). Diferenciais de salários por gênero no Brasil: um análise regional. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Programa de Pós-Graduação em Economia.

Arbache, J. S., & De Negri, J. A. (2002). Diferenciais de salários interindustriais no Brasil: evidências e implicações. Recuperado em 20 fevereiro de 2020, de http://repositorio.ipea.gov.br/handle/11058/2808

Arrow, K. J. (1972). Models of job discrimination. Racial Discrimination in Economic Life, 83.

Barros, R. P. de, Franco, S., & Mendonça, R. (2007). Discriminação e segmentação no mercado de trabalho e desigualdade de renda no Brasil. Recuperado em 02 fevereiro de 2020, de http://repositorio.ipea.gov.br/bitstream/11058/1842/1/TD_1288.pdf

Becker, G. (1957). The Economics of Discrimination,(2 uppl.). Chicago University press, Chicago.

Becker, G. S. (1964). Human capital: A theoretical and empirical analysis, with Special Reference to Education, by Gary S. Becker, ... London.

Cacciamali, M. C., & Hirata, G. I. (2005). A influência da raça e do gênero nas oportunidades de obtenção de renda-uma análise da discriminação em mercados de trabalho distintos: Bahia e São Paulo. Estudos Econômicos (São Paulo), 35(4), 767–795. Doi: 10.1590/S0101-41612005000400007. Recuperado em 05 março de 2020, de https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0101-41612005000400007&script=sci_arttext

Cacciamali, M. C., Tatei, F., & Rosalino, J. W. (2010). Estreitamento dos diferenciais de salários e aumento do grau de discriminação: limitações da mensuração padrão? Planejamento e Políticas Públicas. Recuperado em 05 março de 2020, de https://www.ipea.gov.br/ppp/index.php/PPP/article/viewFile/159/175

Cambota, J. N., & Pontes, P. A. (2007). Desigualdade de rendimentos por gênero intra-ocupações no Brasil, em 2004. Revista de Economia Contemporânea, 11(2), Recuperado em 18 março de 2020, de https://www.scielo.br/pdf/rec/v11n2/a06v11n2

Cameron, A. C., & Trivedi, P. K. (2010). Microeconometrics using stata (Vol. 2). Stata press College Station, TX.

da Silva Freisleben, V., & Bezerra, F. M. (2012). Ainda existe discriminação salarial contra as mulheres no mercado de trabalho da região Sul do Brasil? Evidências para os anos de 1998 e 2008. Revista Cadernos de Economia, 16(30/31), 51–65.

de Barros, R. P., & Mendonça, R. S. P. (1996). Diferenças entre discriminação racial e por gênero e o desenho de políticas anti-discriminatórias. Revista Estudos Feministas, 4(1), 183.

de Holanda Barbosa Filho, F., & de Abreu Pessôa, S. (2010). Educação e crescimento: o que a evidência empírica e teórica mostra? Revista Economia, 11(2), 265–303.

de Souza, S. de C. I., Maia, K., Fiuza-Moura, F. K., Gomes, M. R., & da Silva, R. J. (2015). Diferenças salariais por gênero e cor e o impacto da discriminação econômica. Revista Brasileira de Estudos Regionais e Urbanos, 9(1), 32–49.

Fiuza-Moura, F. K. (2015). Diferenciais de salário na indústria brasileira por sexo, cor e intensidade tecnológica. 2015. 96 f. Dissertação (Mestrado em Economia Regional)-Universidade Estadual de Londrina.

Giuberti, A. C., & Menezes-Filho, N. (2005). Discriminação de rendimentos por gênero: uma comparação entre o Brasil e os Estados Unidos. Economia Aplicada, 9(3), 369–384.

Hoffmann, R., & Leone, E. T. (2009). Participação da mulher no mercado de trabalho e desigualdade da renda domiciliar per capita no Brasil: 1981-2002. Nova Economia, 14(2),

Kessler, D. (1991). Birth order, family size, and achievement: Family structure and wage determination. Journal of Labor Economics, 9(4), 413–426.

Klepinger, D. H., Lundberg, S., Plotnick, R., & others. (1997). How does adolescent fertility affect the human capital and wages of young women? Institute for Research on Poverty, University of Wisconsin.

Lima, R. (1980). Mercado de trabalho: o capital humano e a teoria da segmentação. Recuperado em 17 março de 2020, de http://repositorio.ipea.gov.br/bitstream/11058/7030/1/PPE_v10_n1_Mercado.pdf

Loureiro, P. R. A. (2003). Uma resenha teórica e empírica sobre economia da discriminação. Revista Brasileira de Economia, 57(1), 125–157.

Mincer, J. (1974). Schooling, Experience, and Earnings. Human Behavior & Social Institutions No. 2.

Mroz, T. A. (1987). The sensitivity of an empirical model of married women’s hours of work to economic and statistical assumptions. Econometrica: Journal of the Econometric Society, 765–799.

Nichols, A. (2007). Review of An Introduction to Modern Econometrics Using Stata by Baum. The Stata Journal, 7(1), 131–136.

Pazello, E. T., & Fernandes, R. (2004). A maternidade e a mulher no mercado de trabalho: diferença de comportamento entre mulheres que têm e mulheres que não têm filhos. ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA, 31.

Phelps, E. S. (1972). The statistical theory of racism and sexism. The American Economic Review, 62(4), 659–661.

Ramos, L. (2007). A desigualdade de rendimentos do trabalho no período pós-Real: o papel da escolaridade e do desemprego. Economia Aplicada, 11(2), 281–301.

Resende, M., & Wyllie, R. (2006). Retornos para educação no Brasil: evidências empíricas adicionais. Economia Aplicada, 10(3), 349–365.

Schultz, T. W. (1973). O capital humano: investimentos em educação e pesquisa. Zahar Editores.

Spence, M. (1978). Job market signaling. In Uncertainty in Economics (pp. 281–306). Elsevier.

Thomas, D., Strauss, J., & Henriques, M.-H. (1991). How does mother’s education affect child height? The Journal of Human Resources, 26(2), 183.

Wooldridge, J. M. (2013). Introdução à econometria: uma abordagem moderna. Pioneira Thomson Learning.

Downloads

Publicado

2021-08-12

Como Citar

CHEROBINI ORTH, A., RodriguesLeonelCorrea,J. , Alves Perez, C. ., José Pereira Lima, E., & da Silva Batista, D. . (2021). MENSURANDO A DIFERENÇA SALARIAL ENTRE MULHERES COM FILHOS AINDA CRIANÇA. Revista GEDECON - Gestão E Desenvolvimento Em Contexto, 9(1), 71 - 86. https://doi.org/10.33053/gedecon.v9i1.306

Edição

Seção

Artigos - Direitos Humanos, Cidadania, Democracia e "novos direitos"