MUDANÇAS PRODUZIDAS PELA CPC 06 – RESOLUÇÃO 02/2019 NAS NOTAS EXPLICATIVAS DAS EMPRESAS DO SETOR DO AGRONEGÓCIO LISTADAS NA B3

Autores

  • Juliana Carolina Lang Meldola UNEMAT - Universidade do Estado do Mato Grosso.
  • Jusceliany   Rodrigues Leonel Correa UNEMAT - Universidade do Estado do Mato Grosso.
  • Presline Blum da Silva UNEMAT - Universidade do Estado do Mato Grosso.
  • Arlete Cheribini Orth UNILASALLE/LUCAS

DOI:

https://doi.org/10.33053/gedecon.v9i2.329

Palavras-chave:

Comportamento. Mudanças. Notas explicativas. Agronegócios. CPC 06.

Resumo

Devido a interação com as normativas internacionais, o Brasil vem divulgando as modificações movidas pelo processo de adaptação nas diligências de leis e normativas, esse recurso visa padronizar os lançamentos e métodos de análise referente aos dados contábeis. Este estudo analisa o comportamento das empresas do setor do agronegócio listadas na B3 frente às mudanças introduzidas pelo CPC 06 – Resolução 02/2019 no tocante à divulgação de notas explicativas. Para tanto, realizou-se pesquisa qualitativa e descritiva, que se constitui em estudo de caso com coleta de dados por pesquisa documental. A amostra compõe-se de cinco empresas cujas demonstrações contábeis foram analisadas a partir de um check list adaptado a partir de Moura (2017). As notas explicativas tem o intuito de auxiliar as demonstrações contábeis visando uma especificação ampla e abrangente sobre o fato demonstrado. A partir da análise realizada, os resultados apontam que as empresas dividem-se em dois grupos: as que avançaram no cumprimento da nova normativa e as que registram índice de evidenciação pouco abaixo de 50%, o que significa negligência na divulgação de diversos fatos contábeis, essa falta de informações alocadas nas demonstrações acaba dificultando a avaliação de futuros acionistas e até mesmo afugentando os atuais. Essa escassez de informações além de deter a qualificação das demonstrações também pode camuflar fatos ilícitos ou improcedentes, deixando os acionistas a mercê de informações inconfidentes.

 

Referências

Abbade, B. (2014). O papel do agronegócio brasileiro no seu desenvolvimento econômico. (2019). Revista gestão da produção, operações e sistemas, ano 9, n. 3, p. 149-158. Recuperado de https://revista.feb.unesp.br/index.php/gepros/article/viewfile/1053/594.

Barros, R. P. de, Franco, S., & Mendonça, R. (2007). Discriminação e segmentação no mercado de trabalho e desigualdade de renda no Brasil.

Bacha, c. J. C. (2004). Economia e política agrícola no Brasil. São Paulo: atlas.

Brasil. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. (2011). Plano agrícola e pecuário 2011- 2012. Brasília.

Coelho, A. C.; Cruz, S. I. F.; Holanda, a. P. (2015). Reconhecimento de leasing financeiro em arrendadoras brasileiras: diferenças dos padrões contábeis bacen e cpc 06. Revista contabilidade, gestão e governança, v. 18, n. 2, p. 101-118. Recuperado de https://cgg-amg.unb.br/index.php/contabil/article/view/833.

Comitê de Pronunciamentos Contábeis. CPC 06 (R1): (2019). Operações de arrendamento mercantil. Recuperado de http://www.cpc.org.br/cpc/documentos-emitidos/pronunciamentos/pronunciamento?id=37.

Comitê de Pronunciamentos Contábeis CPC 06 (R2): (2019). Operações de arrendamento mercantil. Recuperado de http://www.cpc.org.br/cpc/documentos-emitidos/pronunciamentos/pronunciamento?id=37.

Cunha, R. K. C.; Silva, c. A. T. (2009). Análise da facilidade de leitura das demonstrações contábeis das empresas brasileiras: uma investigação do gerenciamento de impressões nas narrativas contábeis. In: congresso usp de controladoria e contabilidade, 9., 2009, São Paulo. Anais.... São paulo: eac/fea/usp.

Deloitte. (2007). Normas internacionais de contabilidade IFRS. São Paulo: atlas.

Ernst, Young. (2009). Manual de normas internacionais de contabilidade. Vol. 2. São Paulo: atlas.

Falcão, E. (1995). Divulgação em demonstrações financeiras de companhias abertas. Caderno de estudo, São Paulo, fipecafi, n. 12.

Gil, A.C. (2002). Como elaborar projetos de pesquisa. 4. Ed. São Paulo: atlas.

Hungarato, A.; Costa, A. F. & Sarlo Neto, A. (2004). Uma contribuição para entendimento das notas explicativas das empresas brasileiras do setor elétrico de distribuição sob a ótica da contabilidade societária. Recuperado de http://livrozilla.com/doc/1164205/uma-contribui%c3%a7%c3%a3o-para-entendimento-das-notas-explicativas.

Iudicibus, S.; Santos, A. & Gelbcke, R. (2018). Manual de contabilidade societária. São Paulo: atlas.

Iudicibus, S.; Martins, E. & Gelbcke, R. (2009). Manual de contabilidade das sociedades por ações. São Paulo: atlas.

Lakatos, E. M.; Marconi, M. D. A. (2011). Fundamentos de metodologia científica. São Paulo: atlas.

Lima, C. M.; Rech, J. I. (2010). Os impactos causados nas demonstrações contábeis das empresas de aviação civil, em virtude da utilização dos covenants nos contratos de leasing financeiro. Recuperado de http://www.cpgls.pucgoias.edu.br/6mostra/artigos/sociais%20aplicadas/cleidh%20maia%20lima.pdf.

Lopes, C. C. V. de M. (2003). Combinações de empresas pelo método de compra dos ativos: análise comparativa entre normas do IASB e as do Brasil. Revista de contabilidade e finanças, v. 14, n. Esp. P. 79-87. Recuperado de http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=s1519-70772003000400005&lng=en&nrm=iso.

Malacrida, M. J. C.; Vamamoto, M. M. (2006). Governança corporativa: nível de evidenciação das informações e sua relação com a volatilidade das ações da Ibovespa. Revista de contabilidade e finanças, v. 17, n. Esp. P. 65-79. Recuperado de http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=s1519-70772003000400005&lng=en&nrm=iso.

Moreira, A. T.; Silva Filho, O. A. da; Lemes, S. (2011). Ias 17: análises, comparações e a primazia da essência sobre a forma. In: congresso ufsc de iniciação científica em contabilidade, 4., florianópolis. Anais... Florianópolis: ufsc.

Moura, C. M. (2017). Análise do grau de evidenciação do arrendamento mercantil pelas empresas listadas no Ibovespa. Trabalho de conclusão de curso (Graduação em Ciências Contábeis) – Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia.

Neves, A. A. (2005). Notas explicativas. Trabalho de conclusão de curso (Graduação em Ciências Contábeis) – Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas, Uniceub, Brasília.

Ramos, P. (2007). Referencial teórico e analítico sobre a agropecuária brasileira. In: ______. (org.). Dimensões do agronegócio brasileiro: políticas, instituições e perspectivas. Brasília: MDA, P. 18-52.

Oliveira, R. O.; Sperse. E. (2010). Utilização de estratégias de branding em commodities agropecuárias: uma revisão da literatura e proposições de pesquisa. In: simpósio internacional de administração e marketing, 5.; Congresso de Administração da ESPM 7., São Paulo. Anais [...]. São Paulo: ESPM, 2010. Recuperado de http://ocs.espm.br/index.php/simposio2010/2010/paper/view/289/187.

Reis, E. F.; Reis, I. F. (2002). Análise descritiva de dados. Belo horizonte: departamento de estatística da UFMG. Recuperado de http://www.est.ufmg.br/portal/arquivos/rts/rte0202.pdf.

Ribeiro, D. M.; Reis, E. M. dos & Pinheiro, L. E. T. (2014). Impacto da mudança contábil no reconhecimento de ativos nas operações de arrendamento mercantil. Revista universo contábil, v. 10, n. 2, p. 84-104.

Rodrigues, L. A.; Dias, W. O. & Colauto, R. D. (2010). Evidenciação de informações financeiras: estudo do nível de aderência do relatório de administração e das notas explicativas ao formulário 20-f. Recuperado de https://www.academia.edu/2684824/evidencia%c3%87%c3%83o_de_informa%c3%87%c3%95es_financeiras_estudo_do_n%c3%8dvel_de_ader%c3%8ancia_do_relat%c3%93rio_da_administra%c3%87%c3%83o_e_das_notas_explicativas_ao_formul%c3%81rio_20-f.

Rosa Neto, C.; Nascente, A. S. (2005). O agronegócio da fruticultura na Amazônia: um estudo exploratório. Porto velho: embrapa. Recuperado de https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/24778/1/doc96-fruticultura.pdf. 2019.

Severino, A. J. (2017). Metodologia do trabalho cientifico. São Paulo: Cortez.

Silva, A. da A. (2017). Estrutura, análise e interpretação das demonstrações contábeis. 5. Ed. São Paulo: Atlas.

Silva, M. J. R. V. da; Oliveira, E. de. & Santos, F. de A. (2019). Evidenciação de arrendamento mercantil operacional pelo CPC 06 (R2) em empresas brasileiras de capital aberto na B3. Redeca, v. 6, n. 1., p. 156-177. Recuperado de https://revistas.pucsp.br/redeca/article/view/43295.

Downloads

Publicado

2022-02-15

Como Citar

Carolina Lang Meldola, J. ., RodriguesLeonelCorrea,J. , Blum da Silva, P. ., & Cheribini Orth, A. (2022). MUDANÇAS PRODUZIDAS PELA CPC 06 – RESOLUÇÃO 02/2019 NAS NOTAS EXPLICATIVAS DAS EMPRESAS DO SETOR DO AGRONEGÓCIO LISTADAS NA B3. Revista GEDECON - Gestão E Desenvolvimento Em Contexto, 9(2), 20 - 37. https://doi.org/10.33053/gedecon.v9i2.329

Edição

Seção

Artigos - Gestão Pública/Agroindustrial