OS VÍNCULOS AFETIVOS ENTRE PROFESSORES E ALUNOS DA EDUCAÇÃO INFANTIL EM TEMPOS DE PANDEMIA

Autores

  • Luciana de Lurdes de Oliveira da Silva Universidade de Cruz Alta - UNICRUZ, Cruz Alta, RS, Brasil
  • Rose Aparecida Colognese Rech Universidade de Cruz Alta - UNICRUZ, Cruz Alta, RS, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.33053/revint.v9i1.634

Palavras-chave:

Afetividade, Vínculos afetivos, Interações, Pandemia de Covid-19

Resumo

Os vínculos afetivos fazem parte da vida das pessoas desde o seu nascimento e são construídos através das interações com o meio social, por essa razão o ambiente escolar deve ser um potencializador destas interações afetivas, principalmente na Educação Infantil, etapa em que as crianças constroem suas bases cognitiva, emocional, motora e social. Esta pesquisa que esta é andamento, buscou compreender o desenvolvimento dos vínculos afetivos na Educação Infantil em tempos de Pandemia, em que professores e alunos estão distantes fisicamente. O estudo seguiu uma abordagem qualitativa do tipo estudo de caso e, para produção dos dados, foi enviado aos professores da Educação Infantil que atuam nas turmas de Jardim I das escolas do município de Panambi, um questionário com questões abertas sobre como desenvolveram o vínculo afetivo neste período de pandemia. Os dados foram analisados de acordo com a Análise Textual Discursiva de Moraes e Galiazzi (2006). Os resultados desta pesquisa buscaram a construção de sentidos e significados para a área da educação e para os sujeitos da pesquisa acerca dos processos de construção dos vínculos afetivos na Educação Infantil.

Referências

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular: Educação Infantil e Ensino Fundamental. Brasília: MEC/Secretaria de Educação Básica, 2017.

BRASIL. Diretrizes curriculares nacionais para a educação infantil /Secretaria de Educação Básica. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. – Brasília: MEC, SEB, 2010.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Parâmetros Nacionais de Qualidade para a Educação Infantil. Brasília, 2018. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/docman/2020/141451-public-mec-web-isbn-2019-003/file. Acesso em: 10 fev. 2021.

BRASIL. Parecer homologado parcialmente CNE/CP. Cf. Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 1º/6/2020, Seção 1, Pág. 32, nº 9/2020. Disponível em: < http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=145011-pcp005-20&category_slug=marco-2020-pdf&Itemid=30192>. Acesso em: 28 set. 2020.

CARDOSO, Cristiane Alves; FERREIRA, Valdivina Alves; BARBOSA, Fabiana Carla Gomes. (Des) igualdade de acesso à educação em tempos de pandemia: uma análise do acesso às tecnologias e das alternativas de ensino remoto. Revista Com Censo: Estudos Educacionais do Distrito Federal, v. 7, n. 3, p. 38-46, 2020.

FIORENTINI, Dario; LORENZATO, Sergio. Ética na pesquisa educacional: Implicações para a Educação Matemática. In:______ Investigação em Educação Matemática: percursos teóricos e metodológicos. 3ª Edição Revisada. Campinas: Autores Associados, 2009, p. 193-206.

FOCHI, Paulo. Como zelar pela educação infantil em tempos de isolamento social? Portal Lunetas, São Paulo, 2020. Disponível em: https://lunetas.com.br/como-zelar-pela-educacao-infantil-em-tempos-de-isolamento-social/. Acesso em: 10 fev. 2021.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4º edição. São Paulo: Editora Atlas, 2002.

MELLO, Tágides; RUBIO, J. D. A. S. A importância da afetividade na relação professor/aluno no processo de ensino/aprendizagem na educação infantil. Revista Eletrônica Saberes da Educação, v. 4, n. 1, p. 1-11, 2013.

MORAES, Roque; GALIAZZI, Maria do Carmo. Análise textual discursiva: processo reconstrutivo de múltiplas faces. Ciência & Educação, v. 12, n. 1, p. 117-128, 2006.

SARNOSKI, Eliamara Aparecida. Afetividade no processo ensino-aprendizagem. Revista de Educação do IDEAU, v. 9, n. 20, p. 1-12, 2014

VIGOTSKI, L. S. A Formação Social da Mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

WALLON, Henri. A afectividade. In: ____. A evolução psicológica da criança. Lisboa: Edições 70, 1968. p. 145-154.

Downloads

Publicado

2021-12-16

Como Citar

de Oliveira da Silva, L. de L., & Colognese Rech , R. A. (2021). OS VÍNCULOS AFETIVOS ENTRE PROFESSORES E ALUNOS DA EDUCAÇÃO INFANTIL EM TEMPOS DE PANDEMIA. REVISTA INTERDISCIPLINAR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO, 9(1), 143-154. https://doi.org/10.33053/revint.v9i1.634

Edição

Seção

Mostra de Iniciação Científica - Ciências Sociais e Humanidades