ACOLHER: ABRIGO INSTITUCIONAL PARA CRIANÇAS E ADOLESCENTES

Autores

  • Kaylin Cristiane Markus Universidade de Cruz Alta - UNICRUZ, Cruz Alta, RS, Brasil
  • Cláudio Renato de Camargo Mello Universidade de Cruz Alta - UNICRUZ, Cruz Alta, RS, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.33053/revint.v9i1.635

Palavras-chave:

Acolhimento infantil, Qualidade de vida, Vulnerabilidade social

Resumo

A presente pesquisa tem por objetivo coletar dados que servirão de base teórica para a elaboração do anteprojeto - ACOLHER: Abrigo Institucional para Crianças e Adolescentes no município de Panambi-RS. A proposta deve possibilitar a criação de uma instituição que agregue um conjunto espaços adequados à promoção de atividades multidisciplinares voltadas às necessidades de crianças e adolescentes de 0 a 18 anos de idade, em situação de vulnerabilidade social. Há tanto a nível nacional como estadual a ausência de espaços que amparem as diferentes carências de cada idade, e proporcionem acessibilidade e o atendimento de pessoas portadoras de necessidades especiais, na busca de proporcionar uma melhor qualidade de vida. Com base nas pesquisas realizadas através de legislações, e de revisão bibliográfica, foram abordadas as características, dados históricos, e quanto ao tema proposto e sua viabilidade, seguido pelo levantamento físico do terreno e análise das edificações do entorno, elaboração do programa de necessidades, pré-dimensionamento, critérios arquitetônicos, entre outros. Deste modo pretende-se suprir esta carência que o município em estudo apresenta, por meio de uma arquitetura de acolhimento, garantindo o bem-estar dos usuários, e reintegrando-os à sociedade.

Referências

CEDICA. Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente. Porto Alegre, RS, 2021. Disponível em: http://cedica.rs.gov.br/. Acesso em: 08 jun. 2021.

CONANDA. Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente; CNAS Conselho Nacional de Assistência Social. Orientações técnicas para Serviços de Acolhimento para Crianças e Adolescentes.

COREDE NORC. Plano Estratégico de Desenvolvimento Regional 2015-2030. Corede Noroeste Colonial. Ijuí, 2017. Disponível em: https://governanca.rs.gov.br/upload/arquivos/201710/09144312-plano-noroeste-colonial.pdf. Acesso em: 08 jun. 2021.

CNJ. Conselho Nacional de Justiça. Sistema Nacional de Adoção e Acolhimento (SNA). Disponível em: https://www.cnj.jus.br/programas-e-acoes/adocao/. Acesso em: 05 abr. 2021.

CNJ. Conselho Nacional de Justiça. Sistema. Disponível em: https://www.cnj.jus.br/sna/. Acesso em: 05 abr. 2021.

COSTA, D. L.; CAVALCANTE, L. I. Comportamento de cuidado entre crianças institucionalizadas: observações nos pátios do abrigo e da escola. Gerais: Revista Interinstitucional de Psicologia. Disponível em http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1983-82202012000100005. Acesso em: 29 jun. 2021.

ECA. Estatuto da Criança e do Adolescente. Brasília, 2019. Disponível em: https://www.gov.br/mdh/pt-br/centrais-de-conteudo/crianca-e-adolescente/estatuto-da-crianca-e-do-adolescente-versao-2019.pdf. Acesso em: 8 abr. 2021.

JORGE, D.R. Histórico e aspectos legais da adoção no Brasil. Rev. Brasil. Enf., Rio de Janeiro, 1975.

INOVA. Rosenbaum e Aleph Zero: Moradias Estudantis, Formoso do Araguaia, TO. INOVA TS Engenharia, 2019. Disponível em: https://inovats.com.br/home/rosenbaum-e-aleph-zero-moradias-estudantis-formoso-do-araguaia-to/. Acesso em: 10 abr. 2021.

MAHP. Museu e Arquivo Histórico de Panambi (MAHP). Disponível em: https://mahp-panambi.blogspot.com/. Acesso em: 8 abr. 2021.

PANAMBI. AVOCAP Panambi – 20 anos de atuação em Panambi. Panambi News. Panambi, 2020. Disponível em: https://panambinews.com.br/index.php?m=noticia&a=detail&id=1145. Acesso em: 6 abr. 2021.

PANAMBI. Publicação Resultado da Oitiva da Sociedade. Panambi, 2020. Disponível em: https://panambi.atende.net/atende.php?rot=1&aca=119&ajax=t&processo=viewFile&ajaxPrevent=1623044035046&file=B855173BE44AF5CD1B9D6C0C53552B2642DC5773&sistema=WPO&classe=UploadMidia. Acesso em: 06 jun. 2021.

PANAMBI. Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente. COMDICAP, 2021. Disponível em: https://panambi.atende.net/#!/tipo/pagina/valor/42. Acesso em: 06 jun. 2021.

PANAMBI. Lei Municipal nº 4.076, de 03 de junho de 2015. Disponível em: https://leismunicipais.com.br/a/rs/p/panambi/lei-ordinaria/2015/408/4076/lei-ordinaria-n-4076-2015-dispoe-sobre-a-politica-municipal-de-protecao-aos-direitos-da-crianca-e-do-adolescente-regulamentando-a-formacao-e-atuacao-do-conselho-municipal-dos-direitos-da-crianca-e-do-adolescente-e-do-conselho-tutelar-dispondo-sobre-o-fundo-municipal-para-a-crianca-e-o-adolescente-de-panambi-dando-ainda-outras-providencias. Acesso em: 08 jun. 2021.

SAVI, Aline Eyng. Abrigo ou lar? Um olhar arquitetônico sobre os abrigos de permanência continuada para crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2008.

SNAS. Secretaria Nacional de Assistência Social. Lei Orgânica De Assistência Social Anotada. Brasília, DF, 2009. Disponível em: https://www.mds.gov.br/webarquivos/publicacao/assistencia_social/Normativas/LoasAnotada.pdf. Acesso em: 06 jun. 2021.

WATHIER, Josiane Lieberknecht; DELL’AGLIO, Débora Dalbosco. Sintomas depressivos e eventos estressores em crianças e adolescentes no contexto da institucionalização. Rev. Psiquiatra. v. 29, n. 3, 2007.

Downloads

Publicado

2021-12-16

Como Citar

Markus, K. C. ., & de Camargo Mello, C. R. (2021). ACOLHER: ABRIGO INSTITUCIONAL PARA CRIANÇAS E ADOLESCENTES. REVISTA INTERDISCIPLINAR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO, 9(1), 155-165. https://doi.org/10.33053/revint.v9i1.635

Edição

Seção

Mostra de Iniciação Científica - Ciências Sociais e Humanidades