PERDA DA QUALIDADE DE VIDA EM HIPERTENSOS: UMA PROPOSTA DE INTERVENÇÃO

Autores

  • Thais Severo Dutra Universidade de Cruz Alta - UNICRUZ, Cruz Alta, RS, Brasil
  • Themis Goretti Moreira Leal de Carvalho Universidade de Cruz Alta - UNICRUZ, Cruz Alta, RS, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.33053/revint.v9i1.644

Palavras-chave:

Hipertensão, Qualidade de vida, Prevenção, Promoção da saúde

Resumo

A hipertensão arterial sistêmica é uma doença crônica, caracterizada pelos seus altos níveis pressóricos, estando a pressão arterial acima de 140/90 mmHG. A mesma se apresenta em altos índices, trazendo uma alta carga global, uma vez que a esta predispõe diversos fatores de risco, entre eles o sedentarismo a má alimentação e idade. A doença requer tratamento medicamentoso e mudanças de hábitos, para que possa estabilizar seu quadro, o que pode gerar transtorno ao paciente, ocorrendo mudanças na sua qualidade de vida. Sendo assim o presente estudo teve o objetivo propor medidas que possam auxiliar na prevenção e promoção da qualidade de vida relacionada a saúde de pacientes com hipertensão arterial sistêmica.  Metodologia: a proposta foi dividida em dois momentos, sendo o primeiro uma proposta de avaliação da qualidade de vida e o segundo momento voltado a uma intervenção buscando a promoção e a prevenção da qualidade de vida. Conclusão: a proposta é considerada válida para a prevenção promoção da qualidade de vida, onde pode ser aplicada em centros de saúde, incentivando assim a prevenção do agravamento da doença. A metodologia se mostrou como uma importante ferramenta de identificação e também de incentivo aos pacientes.

Referências

ALVES, Rafaella Lemos; LIMA, Daniela Braga. Qualidade de Vida de indivíduos com Hipertensão Arterial e/ou Diabetes Mellitus acompanhados na atenção primária à saúde de um município do sul de Minas Gerais. Saúde (Santa Maria), v. 46, n. 2, 2020.

BARROSO, Weimar Kunz Sebba; et al. Diretrizes Brasileiras de Hipertensão Arterial – 2020. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, v. 116, n. 3, p. 516-658, 2021.

BORGES, Bárbara Kellen Antunes; et al. Avaliação da qualidade de vida de hipertensos atendidos emu ma Unidade Básica de Saúde de Montes Claros – Minas Gerais. Revista Saúde & Ciência Online, v. 9, n. 2, p. 4-12, 2020.

CICONELLI, Rozana Mesquita; et al. Tradução para a língua portuguesa e validação do questionário genérico de avaliação de qualidade de vida SF-36 (Brasil SF-36). Rev. bras. reumatol, v. 39, n. 3, p. 143-50, 1999.

FOROUZANFAR, Mohammad H.; et al. Global burden of hypertension and systolic blood pressure of at least 110 to 115 mm Hg, 1990-2015. Jama, v. 317, n. 2, p. 165-182, 2017.

HANUS, Juliét Silveira; et al. Associação entre a qualidade de vida e adesão à medicação de indivíduos hipertensos. Acta Paulista de Enfermagem, v. 28, n. 4, p. 381-387, 2015.

SIBONI, Fatemeh Samiei; et al. Quality of life in different chronic diseases and its related factors. International journal of preventive medicine, v. 10, 2019.

SILQUEIRA, Salete Maria de Fátima. O questionário genérico SF-36 como instrumento de mensuração da qualidade de vida relacionada a saúde de pacientes hipertensos. 2005. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo.

VASCONCELOS, Maristela Inês Osawa; et al. Educação em saúde na atenção básica: uma análise das ações com hipertensos. Revista de APS, v. 20, n. 2, 2017.

WHOQOL GROUP; et al. The World Health Organization quality of life assessment (WHOQOL): position paper from the World Health Organization. Social science & medicine, v. 41, n. 10, p. 1403-1409, 1995.

Downloads

Publicado

2021-12-16

Como Citar

Severo Dutra, T., & Moreira Leal de Carvalho, T. G. (2021). PERDA DA QUALIDADE DE VIDA EM HIPERTENSOS: UMA PROPOSTA DE INTERVENÇÃO . REVISTA INTERDISCIPLINAR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO, 9(1), 229-236. https://doi.org/10.33053/revint.v9i1.644

Edição

Seção

Mostra de Iniciação Científica - Ciências Biológicas e da Saúde