COMPREENSÕES DE ISTS NOS PROCESSOS FORMATIVOS DE LICENCIANDOS/AS EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

Autores

  • Gabriele Strochain Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia Farroupilha (IFFAR) – Campus Santa Rosa, Santa Rosa, RS, Brasil
  • Luana Berro Strehlow Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia Farroupilha (IFFAR) – Campus Santa Rosa, Santa Rosa, RS, Brasil
  • Rúbia Emmel Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia Farroupilha (IFFAR) – Campus Santa Rosa, Santa Rosa, RS, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.33053/revint.v9i1.647

Palavras-chave:

Formação inicial de professores, Educação sexual, Ensino de ciências

Resumo

Esta investigação teve o objetivo geral de analisar as compreensões de Licenciandos/as em Ciências Biológicas sobre ISTs, a partir das suas vivências na Educação Básica. A partir da questão: Quais as concepções os/as licenciandos/as em Ciências Biológicas têm sobre o que são ISTs e quais as formas de contaminação e prevenção a partir de suas vivências na Educação Básica? A população desta pesquisa foram dez licenciandos/as do segundo semestre do Curso de Licenciatura em Ciências Biológicas, participantes da Prática enquanto Componente Curricular II (PeCC II). Ao questionarmos os/as licenciandos/as sobre: “O que são ISTs?” e “Quais as formas de transmissão do vírus da AIDS?”,  Identificamos que sete licenciandos/as souberam apenas descrever a definição da sigla. Três dos Licenciandos/as trouxeram explicações do significado da sigla, porém apenas exemplos ligados à relação sexual. Tomando como exemplo a resposta de L5: “São Infecções Sexualmente Transmissíveis, causadas por vírus ou bactérias, sendo transmitidas, principalmente, por meio do contato sexual”. Nesse sentido, faz-se necessário que os/as futuros/as professores/as sejam preparados para tratar temas como ISTs em seus diversos aspectos: biológicos, sociais, psicológicos e culturais.

Referências

AGNOLETTO, R.; PADOIN, M. J. Formação inicial de professores e a formação de educadores sexuais. In: MEGLHIORATTI, Fernanda Aparecida; OLIVEIRA, André Luís de; FERRAZ, Daniela Frigo (Orgs.). Reflexões sobre a formação de professores no ensino de ciências. Cascável: EDUNIOESTE, 2012.

ALMEIDA, C. R. S.; MELO, A. S. A. F. Infecções sexualmente transmissíveis nos livros didáticos de ciências. In: II SEMINÁRIO INTERNACIONAL ENLAÇANDO SEXUALIDADES, 2011, Salvador. Anais... Salvador: [s.n.] 2011, não paginado.

ALMEIDA, R. A. A. S.; et al. Conhecimento de adolescentes relacionados a doenças sexualmente transmissíveis e gravidez. Revista Brasileira de Enfermagem, v.70, n. 5, p.1087-1094, 2017.

BARDIN, Laurence. Análise de Conteúdo. Lisboa, Portugal; Edições 70, LDA, 2009.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Tradução Luís Antero Reto, Augusto Pinheiro. São Paulo: Edições 70, 2011.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis. Infecções Sexualmente Transmissíveis / Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde - SVS. Brasília: Ministério da Saúde, s/a.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Direitos sexuais, direitos reprodutivos e métodos anticoncepcionais / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Brasília: Ministério da Saúde, 2009.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Saúde sexual e saúde reprodutiva / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. - I. ed., I. reimpr. - Brasília: Ministério da Saúde, 2013.

BRÊTAS, J. R. da S.; et al. Conhecimentos de adolescentes sobre Doenças Sexualmente Transmissíveis: subsídios para prevenção. Acta Paulista de Enfermagem, v. 22 n 6, p.786-792, 2009.

CARR, Wilfred; KEMMIS, Stephen. Teoría crítica de la enseñanza: investigación-acción en la formación del profesorado. Barcelona, Espanha: Martinez Roca, 1988.

CARTAXO, C. M. B.; et al. Gestantes portadoras de HIV/AIDS: Aspectos psicológicos sobre a prevenção da transmissão vertical. Estudos de Psicologia, v. 18 n 3, p.419-427, 2013.

DUARTE, R. Pesquisa qualitativa: Reflexões sobre o trabalho de campo. Cadernos de Pesquisa, n 115, p.139-154, 2002.

LOURO, G. L. Gênero, sexualidade e educação. 6. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 1997.

MONTEIRO, N. H. P.; BIZZO, N.; GOUW, S. M. A. As Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST) e a Aids nos livros didáticos para o ensino fundamental no Brasil: abordagens e implicações educacionais. Acta Scientiae, Canoas, v.12, n.1, p.123-138, jan./jun. 2010.

SILVA, I. C.; et.al. Doenças Sexualmente Transmissíveis (Dst). Revista Eletrônica Saúde em Foco. 2018. Disponível em: https://portal.unisepe.com.br/unifia/wp-content/uploads/sites/10001/2018/06/042_doencas_sexualmente_transmissiveis.pdf. Acesso em: 30 mar. 21.

Downloads

Publicado

2021-12-16

Como Citar

Strochain, G. ., Berro Strehlow, L., & Emmel, R. . (2021). COMPREENSÕES DE ISTS NOS PROCESSOS FORMATIVOS DE LICENCIANDOS/AS EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS. REVISTA INTERDISCIPLINAR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO, 9(1), 257-265. https://doi.org/10.33053/revint.v9i1.647

Edição

Seção

Mostra de Iniciação Científica - Ciências Biológicas e da Saúde