A EDUCAÇÃO AMBIENTAL CRÍTICA COMO MEIO DE INTERVENÇÃO SOCIAL

Autores

  • Dieison Prestes da Silveira Universidade Federal do Paraná - UFPR, Curitiba, PR, Brasil
  • Leonir Lorenzetti Universidade Federal do Paraná - UFPR, Curitiba, PR, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.33053/revint.v9i1.655

Palavras-chave:

Educação ambiental crítica, Diálogo, Sociedade, Ciência

Resumo

A Educação Ambiental Crítica auxilia os sujeitos a se tornarem reflexivos na sociedade, dialogando e buscando respostas aos problemas emergentes. Visando ampliar as discussões envolvendo a Educação Ambiental Crítica, com vistas a contribuir com o processo de intervenção social, o presente artigo busca analisar a inserção da EAC no cotidiano dos sujeitos, visando ampliar o debate e o diálogo acerca de suas finalidades para o meio sociocultural. Como procedimentos metodológicos, utilizou-se uma pesquisa do tipo qualitativa, de cunho bibliográfico, cuja análise dos dados se deu por meio da Análise Textual Discursiva. Pode-se perceber que a Educação Ambiental Crítica permite profundas discussões acerca das ideias alienadoras e dominantes que intensificam as desigualdades sociais. Por meio de uma Educação Ambiental Crítica os sujeitos se tornam ativos, refletem constantemente e criam condições de intervenção na sociedade.

Referências

CARVALHO, I. C. de. M. Educação ambiental: a formação do sujeito ecológico. São Paulo: Cortez, 2012.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

GALIAZZI, M. do. C.; SOUZA, R. S. de. O fenômeno da descrição na Análise Textual Discursiva: a descrição fenomenológica como desencadeadora do metatexto. Vidya, Santa Maria, v. 41, n. 1, p. 77-91, jan./jun., 2021.

GUIMARÃES, M. Caminhos da educação ambiental: da forma à ação. Campinas: Papirus, 2011.

GUIMARÃES, M. Educação Ambiental Crítica. In: LAYRARGUES, P. P. (Coord). Identidades da Educação Ambiental brasileira. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, 2004.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

LAYRARGUES, P.; LIMA, G. As macrotendências político-pedagógicas da educação ambiental brasileira. Ambiente & Sociedade, São Paulo, v. 17, n. 1, p. 23-40, 2014.

LIMA, G. F. da. C. Educação Ambiental Crítica: do socioambientalismo às sociedades sustentáveis. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 35, n. 1, p. 145-163, jan./abr. 2009.

LOPES, T. da. S.; ABÍLIO, F. J. P. Contribuições e interconexões entre a complexidade e a dialética na pesquisa-ação em educação ambiental. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, Rio Grande, v. 38, n. 1, p. 95-112, jan./abr. 2021.

LOUREIRO, C. F. B.; LIMA, M. J. G. S. de. Ampliando o debate entre educação e educação ambiental. Revista Contemporânea de Educação, Rio de Janeiro, v. 7, n. 14, agosto/dezembro, 2012.

MINAYO, M. C. de S. (Org.). Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. 18 ed. Petrópolis: Vozes, 2001.

MORAES, R.; GALIAZZI, M. do. C. Análise Textual Discursiva: processo construtivo de múltiplas faces. Ciência & Educação, Bauru, v. 12, n. 1, p. 117-128, 2006.

SILVEIRA, D. P.; LOREZENTTI, L. Estado da arte sobre a Educação Ambiental Crítica no Encontro Pesquisa em Educação Ambiental. Praxis & Saber, Boyacá, v. 12, n. 28, p. 1-15, 2021.

TRISTÃO, M. Tecendo os fios da educação ambiental: o subjetivo e o coletivo, o pensado e o vivido. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 2, p. 251-264, ago. 2005.

Downloads

Publicado

2021-12-16

Como Citar

Prestes da Silveira, D., & Lorenzetti, L. (2021). A EDUCAÇÃO AMBIENTAL CRÍTICA COMO MEIO DE INTERVENÇÃO SOCIAL. REVISTA INTERDISCIPLINAR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO, 9(1), 332-339. https://doi.org/10.33053/revint.v9i1.655

Edição

Seção

Mostra de Pós-Graduação - Ciências Sociais e Humanidades