O PERFIL DAS VÍTIMAS DE TRAUMATISMO CRANIOENCEFÁLICO ATENDIDAS EM UM PRONTO SOCORRO

Autores

  • Marlon Pereira de Oliveira Universidade Católica de Pelotas
  • Geovane Vaghetti de Ávila Marques Universidade Católica de Pelotas - UCPel
  • Samanta Bastos Maagh Universidade Católica de Pelotas - UCPel

DOI:

https://doi.org/10.33053/recs.v7i2.218

Palavras-chave:

Traumatismos Craniocerebrais, Serviços médicos de emergência, Perfil de Saúde

Resumo

O objetivo da pesquisa foi conhecer o perfil das vítimas de traumatismo cranioencefálico atendidas em um pronto socorro do sul do Brasil. Trata-se de um estudo quantitativo, com caráter retrospectivo, descritivo e transversal realizado por meio de fichas de atendimento de pacientes que deram entrada no serviço, por esse trauma, em 2018. Dos 711 pacientes, 63,2% era do sexo masculino, na faixa etária de 0 a 12 anos (38,7%), a maioria residente na cidade de Pelotas (78,8%), sendo o turno da noite, o que mais registrou casos (43,7%). Quanto à gravidade, o TCE leve predominou (53,6%). Neste estudo, ganharam destaque as quedas, representando 53,7% dos casos, seguido pelos acidentes de trânsito, com 24,6%. Entende-se que o TCE atinge, com maior frequência, as crianças, em virtude do supervisionamento ineficaz, reforçando a necessidade de mais pesquisas acerca do assunto.

Referências

ALBUQUERQUE, A. M. et al. Vítimas de acidente de moto com traumatismo. Rev Enferm UFPE on line. 2016, v. 10, n. 5, p. 1730-8. Disponível em:

file:///C:/Users/note/Downloads/13549-34592-1-PB.pdf. Acesso em 10 jul. 2019.

ALMEIDA, K. J. et al. Hemotransfusion and mechanical ventilation time are associated with intra-hospital mortality in patients with traumatic brain injury admitted to intensive care unit. Rev Arq Neuropsiquiatr. 2016, v. 74, n. 8, p. 644-9. Disponível em: file:///C:/Users/note/Downloads/Hemotransfusion_and_mechanical_ventilation_time_ar.pdf. Acesso em 22 ago. 2019.

AMORIM, E. S. et al. Perfil epidemiológico de crianças vítimas de trauma cranioencefálico. Rev Enferm UFPE on line. 2017, v. 11, n. 10, p. 4150-6. Disponível em: file:///C:/Users/note/Downloads/231177-75169-1-PB.pdf. Acesso em 26 ago. 2019.

ANGHINAH, R. et al. Traumatic brain injury pharmacological treatment: recommendations. Rev Arq. Neuro-Psiquiatr. 2018, v. 76, n. 2, p. 100-3. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-282X2018000200100. Acesso em 03 set. 2019.

BAINY, M. P. Perfil epidemiológico dos pacientes com traumatismo crânio encefálico admitidos em uma unidade de tratamento intensivo de referência no sul do Brasil. Orientador: Jean Pierre Oses. 2017. 43 f. Dissertação (Mestrado em Saúde e Comportamento) — Universidade Católica de Pelotas, Pelotas, 2017.

BARCELLOS, R. A.; LIMA, T. C.; CANDATEN, A. E. Prevalência de internações por traumatismo cranioencefálico em unidades de terapia intensiva da serra gaúcha. Rev. Espaço Ciência & Saúde. 2018, v. 7, n. 1, p. 9-16. Disponível em: https://revistaeletronica.unicruz.edu.br/index.php/saude/article/view/116/56. Acesso em 05 set. 2019.

DALTO, S. G.; ESCOBAR, E. Traumatismo cranioencefálico em um hospital-escola da cidade de Campinas, São Paulo, Brasil. Rev. Enfermagem. 2016, v. 19, n. 2, p. 255-61. Disponível em: file:///C:/Users/note/Downloads/13163-Texto%20do%20artigo-47065-1-10-20161020.pdf. Acesso em 08 set. 2019.

FETTERMANN, F. A.; ARANDA, A.; KIST, R. L. O atendimento de enfermagem a vítimas de trauma crânio-encefálico. Rev. Eletrônica Acervo Saúde. 2018, v. 12, p. 170-76. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/325540074. Acesso em 13 set. 2019.

MAGALHÃES, A. L. G. et al. Epidemiologia do traumatismo cranioencefálico no Brasil. Rev. Brasileira de Neurologia. 2017, v. 53, n. 2, p. 15-22. Disponível em: file:///C:/Users/note/Downloads/12305-25706-1-PB.pdf. Acesso em 14 set. 2019.

MENEZES, S. S.; LEITE, J. B. S. Traumatismo cranioencefálico (TCE): condutas de enfermagem diante da vítima na sala de emergência. Revista Coopex/fip, 2017, v. 08.

Disponível em: http://coopex.fiponline.edu.br/pdf/cliente=35a72bca0ac44c168b28b403459f7

df60.pdf. Acesso em 20 set. 2019.

MOREIRA, M. A. et al. Perfil clínico-epidemiológico de pacientes com traumatismo cranioencefálico: estudo informativo. Rev Enferm UFPE on line. 2015, v. 9, n. 9, p. 1035-45. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/view/10803.

Acesso em 20 out. 2019.

NASCIMENTO, E. T.; MACIEL, M. P. G. S.; OLIVEIRA, K. C. P. N. Análise epidemiológica das internações por trauma cranioencefálico em um hospital de urgência e emergência. Rev Enferm UFPE on line. 2017, v. 11, n. 7, p. 2864-70. Disponível em:

file:///C:/Users/note/Downloads/23466-45777-1-PB.pdf. Acesso em 03 out. 2019.

OLIVEIRA, L. A. M. et al. Assistência de enfermagem em pacientes vítimas de traumatismo crânio encefálico: Revisão integrativa. Revista Uningá. 2018, v. 55, n. 2, p. 33-46. Disponível em: http://revista.uninga.br/index.php/uninga/article/view/2090/1683. Acesso em 07 out. 2019.

SANTIAGO, L. G. et al. Perfil epidemiológico do traumatismo cranioencefálico pediátrico. Revista Sociedade, Ciência e Tecnologia. 2017, n. 3, p. 1-6. Disponível em: http://pensaracademico.facig.edu.br/index.php/semiariocientifico/article/view/410/341. Acesso em 28 out. 2019.

SANTOS, A. M. R. et al. Perfil epidemiológico do trauma cranioencefálico. Rev Enferm UFPE on line. 2016, v. 10, n. 11, p. 3960-8. Disponível em: file:///C:/Users/note/Downloads/11478-26518-1-PB.pdf. Acesso em 07 nov. 2020.

SANTOS, F. et al. Traumatismo cranioencefálico: Causas e perfil das vítimas atendidas no pronto-socorro de Pelotas/Rio Grande do Sul, Brasil. Rev Min Enferm. 2013, v. 17, n. 4, p. 882-7. Disponível em: https://cdn.publisher.gn1.link/reme.org.br/pdf/v17n4a10.pdf. Acesso em 01 nov. 2020.

SILVA, J. A. et al. Traumatismo cranioencefálico no município de Fortaleza. Rev Enferm. Foco. 2017, v. 8, n. 1, p. 22-26. Disponível em: http://revista.cofen.gov.br/index.php/enfermagem/article/view/724/368. Acesso em 17 nov. 2020.

WIND, J. J. et al. Traumatismo cranioencefálico. In: IRWLIN, R. S.; LILLY, C. M.; RIPPE, J. M. Manual de Terapia Intensiva. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2015. P. 938-43.

Downloads

Publicado

2020-09-28

Como Citar

Pereira de Oliveira, M., Marques, G. V. de Ávila, & Maagh, S. B. (2020). O PERFIL DAS VÍTIMAS DE TRAUMATISMO CRANIOENCEFÁLICO ATENDIDAS EM UM PRONTO SOCORRO. Revista Espaço Ciência & Saúde, 7(2), 11-19. https://doi.org/10.33053/recs.v7i2.218

Edição

Seção

Artigos Originais