A CITOLOGIA MAMÁRIA NA DETECÇÃO PRECOCE DO CÂNCER DE MAMA: UMA REVISÃO

Autores

  • Luiza Mariana Alvarez Elicker Universidade de Cruz Alta - UNICRUZ
  • Morgane Goudinho Brito Universidade de Cruz Alta, Cruz Alta, RS, Brasil.
  • Kelly Silva Rodrigues Universidade de Cruz Alta, Cruz Alta, RS, Brasil.
  • Janice Pavan Zanella

DOI:

https://doi.org/10.33053/recs.v7i2.252

Palavras-chave:

Citologia, saúde da mulher, câncer de mamas

Resumo

O câncer de mama é a segunda doença que mais acomete mulheres no Brasil e no mundo, seu índice de mortalidade cresce a cada ano. Atualmente, é a primeira causa de morte por câncer na população feminina brasileira. A avaliação citológica tem se mostrado efetiva na detecção de lesões precursoras do câncer de mama, sendo que a adoção da punção aspirativa por agulha fina (PAAF) facilitou a coleta de amostras suspeitas para, através de análise citológica diferencial, detectar alterações benignas e malignas. O objetivo do presente estudo foi revisar as alterações citológicas benignas e malignas das células mamárias, dando ênfase em suas principais característica e morfologia. Este trabalho é baseado na revisão de produções disponíveis nas bases de dados PubMed, SciElo e Google acadêmico. Constata-se que as diferenças entre as alterações são muito sutis, evidenciando a importância de uma boa amostra e um profissional bem treinado para distinguir as atípias.

Biografia do Autor

Janice Pavan Zanella

https://orcid.org/0000-0003-4678-5512

Referências

BARROS, Danilo pontes de oliveira, Aspectos citológicos das principais alterações da mama, 2011, 46, Monografia, Pós graduação em citologia clínica, Universidade Paulista, Recife.

BOAVENTURA, Priscila Pinto, Câncer de mama e detecção precoce: Uma revisão de literatura, 2017, 37, Trabalho de conclusão de curso Enfermagem, União metropolitana de educação e cultura.

BRASIL, Ministério da Saúde. INCA (Instituto Nacional do Câncer), Câncer de mama, 2019.

D’ARCY, C. e QUINN, C. Apocrine lesions of the breast: part 1 of a two-part review: benign, atypical and in situ apocrine proliferations of the breast. J Clin Pathol, v. 72, n.1, p. 1-6, Janeiro, 2019.

D’ARCY, C. e QUINN, C. M. Apocrine lesions of the breast: part 2 of a two-part review. Invasive apocrine carcinoma, the molecular apocrine signature and utility of immunohistochemistry in the diagnosis of apocrine lesions of the breast. J Clin Pathol, v. 72, n.1, p. 7-11, 2019.

DESANTIS, C. E., et al. Breast cancer statistics, 2015: Convergence of incidence rates between black and white women. CA Cancer J Clin, v. 66, n.1, p. 31-42, 2016.

FREITAS, G. B., RUIZ, C. A., FILASSI, J. R., CARVALHO, F. M. . Papiloma Intraductal. Revista Brasileira de Mastologia. v. 25, n.1, p. 2015.

GAMBONI, Mercedes e MIZIARA, Elias, Manual de Citopatologia Diagnóstica, 1, p.

GOBBI, H. Classificação dos tumores da mama: atualização baseada na nova classificação da Organização Mundial da Saúde de 2012. J. Bras. Patol. Med. Lab, v. 48, n.6, p. 463-474, 2012.

INCA, INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER, BRASIL, Estimativa 2018. Incidência do Câncer no Brasil,Rio de Janeiro, 2018.

JUNIOR, Mario Lucio Cordeiro Araujo, et al. Monitoramento da qualidade da coloração de Papanicolaou no Instituto Nacional de Câncer. RBAC- Revista Brasileira de análises clínicas, v. p. 2016.

JUNQUEIRA, Luiz Uchoa e CARNEIRO, José, Histologia Básica - Texto & Atlas, 13, KOOGAN, Guanabara, p. 568.

KUMAR, V., et al., Robbins e Cotran – Patologia –Bases Patológicas das Doenças., 8. ed, Rio de Janeiro: ELSEVIER, 2, p. 1073 - 1103.

LEE, J. Y., et al. Lobular Carcinomas In Situ Display Intralesion Genetic Heterogeneity and Clonal Evolution in the Progression to Invasive Lobular Carcinoma. Clin Cancer Res, v. 25, n.2, p. 674-686, 2019.

LIMAIEM, F. e MLIKA, M. Medullary Breast Carcinoma.

LUNA-ABANTO, J. e MENDOZA TISOC, G. Mucinous carcinoma of the breast: a case report and review of the literature. Medwave, v. 17, n.6, p. e7003, 2017.

MEDEIROS, M. M., et al. Hyperechoic breast lesions: anatomopathological correlation and differential sonographic diagnosis. Radiol Bras, v. 49, n.1, p. 43-48, 2016.

MEHDI, H. K., et al. Pitfalls in Fine-Needle Aspiration Cytology Diagnosis of Ductal Carcinoma in a Lactating Breast. Int J Appl Basic Med Res, v. 9, n.2, p. 107-110, 2019.

NAQOS, N., et al. Mucinous carcinoma of the breast: Clinical, biological and evolutive profile. Cancer Radiother, v. 20, n.8, p. 801-804, 2016.

NOVITA, G. Nódulo de mama. FEBRAS – Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia, v. p. 2018.

ONCOGUIA. Tipos de câncer: Câncer de mama. Instituto Oncoguia, v. p. 2014.

PARANÁ, SECRETARIA DE SAÚDE DO, Programa do INCA - parte V ( câncer de mama ), 2018.

PARKER, S. O livro do corpo humano. Ciranda cultural, v. p. 192-208, 2015.

RAKHA, E. A. e ELLIS, I. O. Lobular breast carcinoma and its variants. Semin Diagn Pathol, v. 27, n.1, p. 49-61, 2010.

RIBEIRO, Monica Pires. Estudo de lesões mamárias e microcalcificações com 99mTc-timina. RadiolBras, v. 40, n.6, p. 414, 2007.

SANTOS, Camila Curcino, et al. A extensão universitária como aliada na detecção precoce do Câncer de mama. Revista Guará, v. n.11, p. 2019.

YERUSHALMI, R.; HAYES, M. M. e GELMON, K. A. Breast carcinoma--rare types: review of the literature. Ann Oncol, v. 20, n.11, p. 1763-1770, 2009.

ZANGOURI, V. Md, et al. Medullary Breast Carcinoma and Invasive Ductal Carcinoma: A Review Study. Iran J Med Sci, v. 43, n.4, p. 365-371, 2018.

Downloads

Publicado

2020-09-28

Como Citar

Elicker, L. M. A., Goudinho Brito, M., Silva Rodrigues, K., & Zanella, J. P. . (2020). A CITOLOGIA MAMÁRIA NA DETECÇÃO PRECOCE DO CÂNCER DE MAMA: UMA REVISÃO. Revista Espaço Ciência & Saúde, 7(2), 20-34. https://doi.org/10.33053/recs.v7i2.252

Edição

Seção

Artigos de Revisão