REDE DE CUIDADOS E ESTRATÉGIAS UTILIZADAS POR USUÁRIOS DE ÁLCOOL E/OU DROGAS EM ABSTINÊNCIA

Autores

  • Keity Laís Siepmann Soccol Universidade Franciscana
  • Andressa da Silveira Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Campus Palmeira das Missões
  • Naiana Oliveira dos Santos Universidade Franciscana (UFN)
  • Mariana Henrich Cazuni Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Campus Palmeira das Missões
  • Andréia Eckert Frank Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Campus Palmeira das Missões
  • Mara Regina Caino Teixeira Marchiori Universidade Franciscana (UFN)

DOI:

https://doi.org/10.33053/recs.v9i1.379

Palavras-chave:

Assistência à Saúde, Serviços de Saúde, Saúde Mental, Usuários de Drogas

Resumo

Esta pesquisa objetiva conhecer a rede de cuidados e as estratégias utilizadas por usuários de álcool e/ou drogas para se manter em abstinência. Pesquisa qualitativa, realizada com usuários assistidos em um Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas de um município do Sul do Brasil. A coleta de dados foi realizada nos meses de março a maio de 2019, utilizou-se um roteiro semiestruturado composto por questões de pesquisa referentes ao consumo de bebidas alcoólicas e/ou drogas; serviços de saúde de referência; e estratégias para permanecer em abstinência. A análise dos dados seguiu os pressupostos de análise temática. Identificou-se que a rede de cuidados aos usuários de álcool e/ou drogas mostra-se fragilizada, com exceção do Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas. As estratégias utilizadas pelos usuários para se manter em abstinência, a mudança de rotina, o afastamento de pessoas que também são usuárias de álcool e/ou drogas é uma alternativa para a manutenção do tratamento. Por fim, é necessário dar visibilidade a essa temática nos demais níveis de atenção à saúde, a fim de ampliar a rede de cuidados e estratégias para o enfrentamento da abstinência.

Biografia do Autor

Andressa da Silveira, Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Campus Palmeira das Missões

Enfermeira. Doutora em Enfermagem. Professora do Curso de enfermagem na Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Campus Palmeira das Missões.

Naiana Oliveira dos Santos, Universidade Franciscana (UFN)

Enfermeira. Doutora em Enfermagem. Professora do Curso de enfermagem na Universidade Franciscana (UFN)

Mariana Henrich Cazuni, Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Campus Palmeira das Missões

Estudante do curso de graduação em enfermagem da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Campus Palmeira das Missões.

Andréia Eckert Frank, Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Campus Palmeira das Missões

Estudante do curso de graduação em enfermagem da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Campus Palmeira das Missões.

Mara Regina Caino Teixeira Marchiori, Universidade Franciscana (UFN)

Enfermeira. Doutora em Ciências. Professora do curso de graduação em enfermagem da Universidade Franciscana (UFN).

Referências

ALBUQUERQUE, R. C. R.; NAPPO, S. A. Razões para quebrar a recaída do consumo. Perspectiva dos usuários. J. bras. psiquiatr. Rio de Janeiro, v. 67, n. 3, p. 194-200, 2018.

ALMEIDA, P. F. et al. Coordenação do cuidado e Atenção Primária à Saúde no Sistema Único de Saúde. Saúde debate. Rio de Janeiro, v. 42, n. spe1, p. 244-260, 2018.

ARAUJO, C. N. P.; CORRADI-WEBSTER, C. M. Perception of the family regarding the treatment of drug users: integrative review. SMAD, Rev. Eletrônica Saúde Mental Álcool Drog., Ribeirão Preto, v. 15, n. 4, p. 1-13, 2019.

AYANO, G. Significance of mental health legislation for successful primary care for mental health and community mental health services: A review. Afr J Prim Cuidados de Saúde Fam Med. 10,1 e1-e4, 2018.

BRASIL. Conselho Nacional de Saúde. Resolução nº 466/2012. Trata da pesquisa em seres humanos e atualiza a resolução 196/96, 2012.

BRASIL. Lei nº. 10.216, de 6 de abril de 2001. Dispõe sobre a proteção e os direitos das pessoas portadoras de transtornos mentais e redireciona o modelo assistencial em saúde mental. Diário Oficial da União 2001.

BONGIOVANNI, J.; SILVA, R. A. N. Desafios da desinstitucionalização no contexto dos serviços substitutivos de saúde mental. Psicol. Soc., Belo Horizonte, v. 31, e190259, 2019.

CORRADI-WEBSTER, C. M.; BRAGA, C. M. S.; DOS SANTOS, M. A. Consumo de Drogas, Rede e Apoio Social entre Pacientes Psiquiátricos Ambulatoriais. Aval. psicol., Itatiba, v. 19, n. 2, p. 132-141, 2020.

COSTA-DE-OLIVEIRA, G. et. al. Características del trabajo y estrategias de atención en salud mental con el consumidor de crack. Enferm. glob., Murcia, v. 16, n. 47, p. 240-269, 2017.

ESLABAO, A. D. et al. Rede de cuidado em saúde mental: visão dos coordenadores da estratégia saúde da família. Rev. Gaúcha Enferm., Porto Alegre, v. 38, n. 1, e60973, 2017.

MACHADO, A. R.; MODENA, C.M.; LUZ, Z. M. P. Das proposições da política às práticas dos serviços: há novidades nos centros de atenção psicossocial álcool e drogas? Physis, Rio de Janeiro, v. 30, n. 1, e300118, 2020.

MANENTE, V. B. et al. Percepção de pessoas que usam drogas acerca do tratamento em um Centro de Atenção Psicossocial. Revista Portuguesa de Enfermagem de Saúde Mental, Porto, n. 20, p. 27-33, 2018.

MENEZES, A. L. C.; PEREIRA, A. R. Desempenho ocupacional de adolescentes usuárias de drogas. Cafajeste. Bras. Ter. Ocup., São Carlos, v. 27, n. 4, p. 754-764, 2019.

MINAYO, M. C. S. O desafio do conhecimento. Pesquisa qualitativa em saúde. 14. Ed. São Paulo: Hucitec, 2014.

MOREIRA, D. J.; BOSI, M. L. M. Qualidade do cuidado na Rede de Atenção Psicossocial: experiências de usuários no Nordeste do Brasil. Physis, Rio de Janeiro, v. 29, n. 2, e290205, 2019.

MOTA, L. A. B. et al. Aplicação da espiritualidade/religiosidade no processo terapêutico de pessoas em uso de substâncias psicoativas. Rev. Enferm. Digit. Cuid. Promoção Saúde. v. 5, n. 1, p.40-46, 2020.

NÓBREGA, W. F. S. et. The importance of social support for the rehabilitation of drug users: an analysis in the Brazilian territory. Research, Society and Development, v. 9, n. 8, p. e785986437, 2020.

NUNES, M. O. et al. Reforma e contrarreforma psiquiátrica: análise de uma crise sociopolítica e sanitária a nível nacional e regional. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 24, n. 12, p. 4489-4498, 2019 .

PINHO, E. S.; SOUZA, A. C. S.; ESPERIDIAO, E. Processos de trabalho dos profissionais dos Centros de Atenção Psicossocial: revisão integrativa. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 23, n. 1, p. 141-152, 2018.

ROSSI, C. C. S.; TUCCI, A. M. Acesso ao tratamento para dependentes de crack em situação de rua. Psicol. Soc., Belo Horizonte, v. 32, e170161, 2020.

SILVEIRA, C. B.; COSTA, L. S. P.; JORGE, M. S. B. Redes de Atenção à Saúde como produtoras de cuidado em saúde mental: Uma análise reflexiva. Revista Portuguesa de Enfermagem de Saúde Mental, Porto, n. 19, p. 61-70, 2018.

SOCCOL, K. L. S. et. al. Motivações da recaída ao uso de drogas por mulheres: estudo fe-nomenológico. Rev. Enferm. UFSM., v. 9, e66. p.1-15, 2019.

Downloads

Publicado

2021-04-30

Como Citar

Siepmann Soccol, K. L., da Silveira, A., Oliveira dos Santos, N. ., Henrich Cazuni, M. ., Eckert Frank, A. ., & Caino Teixeira Marchiori, M. R. . (2021). REDE DE CUIDADOS E ESTRATÉGIAS UTILIZADAS POR USUÁRIOS DE ÁLCOOL E/OU DROGAS EM ABSTINÊNCIA. Revista Espaço Ciência & Saúde, 9(1), 5-14. https://doi.org/10.33053/recs.v9i1.379

Edição

Seção

Artigos Originais