A PESQUISA APRECIATIVA COMO FERRAMENTA NA EDUCAÇÃO PERMANENTE EM SAÚDE

Autores

  • Cristiane Trivisiol Arnemann Universidade Federal de Santa Maria
  • Maria Henriqueta Luce Kruse Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Palavras-chave:

Educação Permanente em Saúde; Pesquisa apreciativa; Prática profissional

Resumo

A Educação Permanente em Saúde (EPS) é uma política pública que busca realizar mudanças na formação a fim de orientar os profissionais de saúde para o trabalho no Sistema Único de Saúde com o desafio de estimular os profissionais a refletirem sobre a sua atuação e responsabilidade na educação para o trabalho. No entanto, ainda há dificuldades para a operacionaliza-ção da proposta de Educação Permanente nos cenários de saúde. Nesse editorial sugerimos que a concepção de Educação Permanente como resolução de problemas seja amparada por outras estratégias para que os trabalhadores possam assumir a participação na EPS. Essas estratégias não seriam apenas focadas na resolução de problemas e poderiam ser desenvolvidas a partir de aspectos positivos a partir de uma proposta metodológica apreciativa.

Biografia do Autor

Maria Henriqueta Luce Kruse, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Enfermeira. Doutora em Enfermagem. Professora do Programa de Pós Graduação em Enfermagem da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). 

Referências

ARNEMANN, C. T.; GASTALDO, D.; KRUSE, M. H. L. Pesquisa Apreciativa: características, utilização e possibilidades para a área da saúde no Brasil. Interface, Botucatu, 2018, v. 22, n. 64, p. 121-31.

ARNEMANN, C. T. Educação permanente em saúde no contexto da residência multiprofissional: estudo apreciativo crítico. [tese]. Porto Alegre: UFRGS; 2017.

CAVALCANTI, F. O. L.; GUIZARDI, F. L. Educação continuada ou permanente em saú-de? Análise da produção pan-americana da saúde. Trab. Educ. Saúde, 2018, v. 16, n. 1, p.99-122.

MICCAS, F. L.; BATISTA, S. H. S. S. Educação permanente em saúde: metassíntese. Revista de Saúde Pública, 2014, v. 48, n.1, p.170-85.

BORDENAVE, J. D. Algunos factores pedagógicos. In: OPS. Educación permanente de per-sonal de salud en la Región de las Américas. Fascículo VII: Bibliografía básica. Washington, DC: Organización Panamericana de la Salud, 1988. 149 p. Serie Desarrollo de Recursos Humanos, 84.

DAVINI, M. C. Praticas laborales en los servicios de salud: las condiciones del aprendizaje. In: HADDAD, J. et al.,. Educación permanente de personal de salud. Washington, DC: Organización Panamericana de la Salud, 1994. p. 109-26. Serie Desarrollo de Recursos Humanos, 100.

BRASIL. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Política nacional de educação permanente para o controle social no Sistema Único de Saúde – SUS. Brasília (DF): Editora do Ministério da Saúde; 2006.

OLIVEIRA, F. M. C. S. N. et al., Educação permanente e qualidade da assistência à saúde: aprendizagem significativa no trabalho da enfermagem. Aquichán, Bogotá, 2011, v. 11, n. 1, p. 48-65.

Downloads

Publicado

2021-04-30

Como Citar

Trivisiol Arnemann, C., & Luce Kruse, M. H. . (2021). A PESQUISA APRECIATIVA COMO FERRAMENTA NA EDUCAÇÃO PERMANENTE EM SAÚDE. Revista Espaço Ciência & Saúde, 9(1), 1-4. Recuperado de https://revistaeletronica.unicruz.edu.br/index.php/saude/article/view/432

Edição

Seção

Editorial