METODOLOGIAS ATIVAS: CONCEPÇÕES E PRÁTICAS DOCENTES DE CURSOS DA SAÚDE

Autores

  • Ethel Bastos Silva Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) Campus Palmeira das Missões
  • Neila Santini de Souza Universidade Federal de Santa Maria -Campus Palmeira das Missões
  • Andressa da Silveira Universidade Federal de Santa Maria -Campus Palmeira das Missões
  • Vanessa Gross
  • Jonata de Mello

DOI:

https://doi.org/10.33053/recs.v9i2.444

Palavras-chave:

Aprendizagem baseada em problemas, Educação, Saúde, Educação baseada em competências

Resumo

Objetivo: Analisar a concepção e a aplicabilidade de Metodologias Ativas na prática de docentes de cursos da saúde. Método: Estudo qualitativo, descritivo realizado com oito docentes de cursos da área da saúde de uma Instituição de Ensino Superior Pública localizada na região norte do estado do Rio Grande do Sul/Brasil. Os participantes foram entrevistados nos meses de agosto a novembro de 2018 e o material empírico gravado, transcrito e analisado pela técnica de Bardin. Resultados: O aprendizado é integrado entre professor e estudante com centralidade na autonomia do estudante; há promoção do pensamento crítico, da aprendizagem cognitiva do conhecimento e desenvolvimento de habilidades e competências. As práticas docentes são constituídas com base em metodologias tradicionais e ativas. Destacam-se entre as estratégias pedagógicas ativas as dinâmicas de grupo, seminários, portfólio e mapa conceitual. Essas são adotadas em pequenos grupos de estudantes com temas complexos e contextuais. Considerações finais: As metodologias ativas tem sido utilizadas, revelando potencialidade para o ensino e aprendizagem. Todavia, para que sejam institucionalizadas e inclusas nos cursos da saúde nos projetos pedagógicos, é necessário maior qualificação dos docentes, apoio institucional com políticas de incentivo à adoção de metodologias de ensino ativas com o uso de tecnologias digitais, jogos e simulações em ambientes virtuais em rede de qualidade.

Referências

BARDIN Laurence. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70; 2016.

BERBEL, Neusi Aparecida Navas. As metodologias ativas e a promoção da autonomia de estudantes. Semina, Ciênc. Soc. Hum. 2011,v.32, n. 1,p. 25-40.

BERBEL, Neusi Aparecida Navas. Metodologia da problematização: respostas de lições extraídas da prática. Semina, Ciênc. Soc. Hum. 2014, v.35, n.2, p: 61-76.

BRAGA, Maria Margaret de Sampaio; FAGUNDES, Maurício César Vitória. Prática Pedagógica e Didática Humanizadora: Materialidade de pressupostos de Paulo Freire.Rev E- Curriculum. 2017, v.15, n.2, p.524-549.

BRASIL. Resolução nº 569 de 8 de dezembro de 2017. Diretrizes curriculares nacionais comuns aos cursos de graduação na área da saúde. Publicada no DOU nº 38, seção 01,

BRESSAN, Mariana Aparecida; COUTO, Ana Thalita S; ZUCCHI, José E.B. Metodologias ativas no ensino de Saúde: devemos considerar o ponto de vista dos alunos? Rev. Docência Ens. Sup., Belo Horizonte, v. 11, e023806, 2021.

CARBOGIM, Fábio da Costa et al. Ensino das habilidades do pensamento crítico por meio de problem based learning. Texto & contexto enferm. 2017. v. 26, n. 4, p. e1180017.

CLAPIS, Maria José et al. Metodologia da problematização no ensino de Atenção Primária à Saúde. Rev Bras Enferm. 2018, v. 71, Suppl 4, p.1671-77.

COLARES, Karla Taísa Pereira; OLIVEIRA, Wellington. Metodologias Ativas na formação profissional em saúde: uma revisão. Revista Sustinere, 2019, v. 6, n. 2, p. 300 – 320.

DIEZEL, Aline; BALDEZ, Alda Leila Santos; MARTINS Silvana Neumann, Os princípios das Metodologias Ativas de ensino:uma abordagem teórica. Rev Thema. 2017, v. 14, n.1, p.268-88.

FARIAS, Pablo Antônio Maia, MARTIN Ana Luiza de Aguiar Rocha, CRISTO Cinthia Sampaio. Aprendizagem Ativa na Educação em Saúde: Percurso Histórico e Aplicações. Rev Bras Educ Med. 2015, v. 39, n.1, p.143-50.

FONSECA, Luciana Mara Monti et al. Simulação por computador e em laboratório no ensino em enfermagem neonatal: as inovações e o impacto na aprendizagem. Rev. Latino-Am. Enfermagem. 2016, v. 24: e2808.

FRANCO, Elaine Cristina Dias; SOARES Amanda Nathale; GAZINELLI Maria Flávia. Recontextualização macro e micropolítica do currículo integrado: percursos experimentados em um curso de enfermagem. Esc. Anna Nery. 2018. v.22, n. 4, p: e20180053.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia. Saberes necessários à prática educativa. 51ª ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra; 2015.

FREITAS, Cilene Maria et al. Uso de Metodologias Ativas de aprendizagem para a educação na saúde: análise da produção científica. Trabalho, Educação e Saúde. 2015, v. 13, p. 234-345.

GONZÁLEZ-HERNANDO, Carolina et al. Evaluación por los estudiantes al tutor de enfermería en el contexto del aprendizaje basado en problemas. Enferm. Univ. 2015. v. 12, n. 3, p.110-15.

HIGA, Elza Fátima Ribeiro et al. Avaliação do processo pedagógico em metodologia da aprendizagem ativa. Investigação Qualitativa em Educação. 2016, v. 1. p. 270-78.

LACERDA, Flávia Cristina Barbosa; SANTOS, Letícia Machado. Integralidade na formação do ensino superior: metodologias ativas de aprendizagem. Avaliação. 2018, v. 23, n .3, p. 611-627.

MESQUITA, Simone Karine da Costa; MENESES, Rejane Millions Vianna; RAMOS, Déborah Karolline Ribeiro. Metodologias ativas de ensino/aprendizagem: dificuldades de docentes de um curso de enfermagem. Trab. educ. Saúde. 2016, v.14, n .2, p. 473-86.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 14ª ed. São Paulo: Hucitec; 2014.

OLIVEIRA, Larissa Bertachini et al. Efetividade das estratégias de ensino no desenvolvimento do pensamento crítico de graduandos de Enfermagem: uma metanálise. Rev Esc Enferm USP. 2016, v. 50, n. 2, p. 355-64.

OLIVEIRA Karime Rodrigues Emílio, BRAGA Eliana Mara. The development of communication skills and the teacher’s performance in the nursing student’s perspective.Rev Esc Enferm USP. 2016, v. 50, n. spec, p. 32-38.

RODRIGUES, Cláudia Cristiane Figueira Martins; CARVALHO, Diana Paula de Souza Rego Pinto; SALVADOR, Pétala Tuane Cândido de Oliveira et al. Ensino inovador de enfermagem a partir da perspectiva das epistemologias do Sul. Esc. Anna Nery. 2016, v.20, n. 2, p. 384-9.

SANABRIA, Mery Luz Valderram; RIOBUENO, Geraldo Alberto Castaño. Solucionando dificultades en el aula: una estrategia usando el aprendizaje basado en problemas. Rev Cuid. 2017. v. 8, n.3, p.1907-18.

SCHLICHTING, Thais de Souza; HEINZLE, Márcia Regina Selpa. Metodologias Ativas de Aprendizagem na Educação Superior: aspectos históricos, princípios e propostas de implementação. Revista e-Curriculum. 2020, v.18, n. 1, p.10-39.

SILVA, Andreia Neiva da et al. O uso de metodologia ativa no campo das Ciências Sociais em Saúde: relato de experiência de produção audiovisual por estudantes. Interface - Comunicação, Saúde, Educação. 2020, v 24, e190231.

SOUSA Alana Tamar Oliveira de et al. A utilização da teoria da aprendizagem significativa no ensino da Enfermagem. Rev Bras Enferm. 2015, v. 68, n. 4, p. 713-22.

XAVIER, Samira Paula Lustoza et al. Competências em promoção a saúde à luz do projeto competencies health promotion (CompHP): uma revisão integrativa. Cienc Cuid Saude. 2019, v.18, n. 1, p. e43421. doi: 10.4025/cienccuidsaude.v18i1.43421

WEBER, Amanda Paula Tigre, FIRMINI, Fernanda; WEBER Lídia Catarina. Metodologias Ativas no processo de ensino da enfermagem: Revisão Integrativa. Revis Aje. 2019, v. 2, n 2. p: 82-114.

Downloads

Publicado

2021-08-16

Como Citar

Silva, E. B., Souza, N. S. de, Silveira, A. da ., Gross, V., & Mello, J. de . (2021). METODOLOGIAS ATIVAS: CONCEPÇÕES E PRÁTICAS DOCENTES DE CURSOS DA SAÚDE. Revista Espaço Ciência & Saúde, 9(2), 1-15. https://doi.org/10.33053/recs.v9i2.444

Edição

Seção

Artigos Originais